12 de dez de 2007

Blattaria


Blattaria ou Blattodea é uma ordem de insetos cujos representantes são popularmente conhecidos como baratas. É um grupo cosmopolita, sendo que algumas espécies (menos de 1%) são consideradas como sinantrópicas.
Philip Yancey faz uma analogia de Deus se tornando homem para poder ter acesso aos homens com ele mesmo e seu aquário de peixes exóticos. Ele explica que mesmo que ele esteja cuidando, alimentando e administrando o aquário, os peixes simplesmente fogem quando ele se achega para dar-lhes comida. Não entendem que ele está cuidando com amor e carinho, mas, só percebem um gigante que vez ou outra volta para assusta-los e atormentá-los. Então, Philip presupõe que Deus talvez tenha tido a mesma sensação diante da sua Criação, o homem. E, imagina que haja semelhança nos dois conflitos. Deus se tornar homem poderia soar com ele se tornando um peixe para poder comunicar o seu amor pelos peixes do aquário.
É nesse ponto que viajo em meus pensamentos. Esforço-me para imaginar quão grande feito seria Deus se tornar como um homem, sua criação. Como não sou Deus, transfiro para uma relação mai próxima e tento tirar alguma conclusão válida.
No entanto, acho que os peixinhos são seres muito adoráveis e graciosos para este estudo de caso. Creio que a dimensão da relação Deus se tornando criatura seja muito mais humilhante. Afinal, Deus se esvaziou a si mesmo da Sua glória.
Creio que esta iniciativa de dimensões cósmicas de humilhação do Deus Todo-Poderoso, Onipotente, Onipresente, Onisciente e Soberano de tornar-se como um de nós assemelha-se, com mais precisão, com minha relação com as baratas. Digo as baratas porque são repugnantes, nojentas, odiosas, irritantes, deprimentes, feias e... já disse nojentas? E não são dignas por si mesmas de serem amadas como os peixinhos. E a cada dia que percebo em minha volta a corrupção, a violência, o desamor, o desafeto, a inescrupolosidade, a ganância, a ambicão, o orgulho, a soberba e tudo quanto deriva do Pecado, creio que Deus é Deus porque para amar ao homem em detrimento de todas essas características, só Deus mesmo. São características que causam a mesma aversão ou pior, que das baratas.
Então, imagine só eu com uma capacidade (Graça) que só eu teria de amar esses "serezinhos" indignos do meu amor me tornando uma barata para comunicar-lhes que as amo? Esvaziar-me de toda minha inteligência, racionalidade, intelectualidade, espirituosidade e criatividade para ser uma barata. Barata pensa? Como seria eu, um ser muito mais avançado que uma barata, abandonar tudo que me torna avançado para me tornar uma barata? Minha mente quase dá um nó... É grandioso ao mesmo tempo que dispendioso e humilhante! Mas, para elas não correrem de mim por não me entenderem, eu me rebaixaria a uma delas só para anunciar-lhes que elas me são muito caras e que as amo muito! Affff... não dá pra engolir! rsss
Grazie Signore!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs