3 de dez de 2007

Exortar sem julgar

Estava lendo o post "Respeitável Público" no excelente Pavablog, e fiquei consternado com os comentários que faziam da iniciativa de eleger o melhor representante do Circo Gospel Brasileiro, uma atitude de condenação e julgamento. Há uma tênue diferença entre julgar e exortar. Podemos em meio a uma exortação acabar julgando; ou em julgamento acabar exortando. De uma coisa eu sei. Não posso ficar inerte diante de tanta desfaçatez espiritual que acaba por prejudicar, e muito, a aderência ao Evangelho puro e simples(parafraseando o título em português Cristianismo puro e simples - CS Lewis) por parte das pessoas que realmente carecem de boas notícias de perdão, salvação e paz. Se julgo ou não, apenas eu posso delimitar o teor da intenção do que digo, caso isso soe condenação à alguns ou exortação á outros, independe. Como ministro do Evangelho não posso me calar diante de ações que desfazem das verdadeiras lições do Mestre. Não vejo Paulo se calando diante de falsos apóstolos, mestres e profetas. Muito pelo contrário, Paulo os expunha publicamente com direito a nomes. E não acho que incorreu no erro de julgar.

2 comentários:

  1. Que reino dividido contra si mesmo prosperará? A igreja atual, muitas vezes, parece um corpo sadomasoquista! E apedreja irmão, apedreja, só n esqça que suas pedras são lançadas para cima e hão de cair na sua própria cabeça!

    "Quem condenará os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica."

    ResponderExcluir
  2. Bem... a pedido... o meu comentário: Qdo julgamos um ministério, corremos um risco de estar discordando de Deus e ajuntando brasas nas nossas cabeças. O que pode não nos agradar, pode estar agradando a Deus e vice-versa. Só Deus conhece tudo, portanto é apto pra julgar.
    É simples, mas em Jesus... fora disso é anátema.
    Quem colocar outro fundamento que não é Jesus/ que "substitui" o que Ele fundamentou, está encrencado!!

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs