22 de jan de 2008

Meu amigo é mentiroso...

Sou intrigado com a nossa pertinente tentativa de classificar pecados. Pecadinhos e pecadões! Quantas vezes não ouvimos alguém dizer: ... ao menos não mato e não roubo! Ora, o que é isso? Uma justificativa? Um salvo-conduto? Uma tentativa de eufemisar a culpa no cartório? Um jeitinho brasileiro de dizer que não se é "pecador"?
É muito difícil entender o amor de Deus. Mas ele ama, sim, até mesmo aquelas pessoas que pecam de um jeito diferente do nosso! A Igreja Católica Apostólica Romana classifica os pecados como Mortais e Veniais, sendo estes aquela mentirinha básica, aquele jeitinho de sonegar um impostozinho, aquela masturbaçãozinha pensando na vizinha, aquela aspereza com a esposa, aquela espiadinha nas bundas das gatinhas do BBB, aquele acessozinho ao sitezinho de sacanagem, aquele beijo descompromissado que se distribui por ai - acho que chamam de ficar, certo? -, aquela acepçãozinha que a gente faz dos mais sujinhos e mal vestidos em nossas igrejas, e etc... etc... etc... E tudo o que podemos colocar um "zinho" no final! São pecadozinhos que para a Igreja Católica não são dignos de nos remeter diretamente ao Inferno, sendo que, são passíveis de remissão ainda no Purgatório. Enquanto que se você matar, estuprar, roubar, adulterar, prostituir... e, imagine só, ser homossexual, você está fadado indiscutivelmente ao Inferno. Salvo, se você se arrepender antes da morte, claro!
Jesus não fazia distinção alguma de pecados. Quando leio as narrativas do Evangelho posso notar, até mesmo, uma despreocupação, negligencia com o nome do pecado em si, com a classificação dos erros. Jesus desaprovava - e desaprova - o Pecado, contudo, não distinguia os pecadores por níveis de pecado. A prostituta não era mais pecadora que o fariseu hipócrita ( e olha que com esses que achavam o contrário, Jesus foi muito mais duro em palavras. Talvez para nivelar as duas classes de pessoas como pecadora e ponto final). Fomos nós quem introduzimos essa hierarquia do pecado, tenho a impressão, para justificarmos a nós mesmos ( as vezes esquecemos que quem nos justifica é Jesus, sei lá). Dessa maneira a igreja acabou por confundir o pecado com o pecador, trantando o pecador com a repuldia do pecado, não com o amor ao pecador em detrimento de seus erros e faltas. Essa era a postura de Jesus. Ele sabia muito bem separar as coisas. Pecado é pecado; pecador é pecador! Pecado, repuldia-se; Pecador, ama-se! Quantas vezes será necessário martelarmos isso para que o Corpo entenda que devemos amar os pecadores, até porque ainda não estamos totalmente livres de pecar como alguns acham que estão.
A violência contra os homossexuais, contra as prostitutas, os drogados, os ladrões e etc, é fruto dessa nossa confusão e tolice a respeito do pecado/pecador. Se, hoje, estes grupos se desdobram para comover a sociedade de que devem ser aceitos com campanhas e discursos é porque falhamos em recebê-los como pessoas que precisavam de acolhimento, de Graça, para então mostrar-lhes que podem se arrepender. Mas, não! Queremos que eles se convertam primeiro para depois, então, adentrarem nossas igrejas. De onde tomamos esse exemplo? Jesus primeiro salvava, primeiro curava, primeiro acolhia, primeiro amava e no final: "Vai e não peques mais". Assim, os enfermos e pecadores eram confrontados pela Graça e Amor que lhes era oferecido e levados ao arrependimento de suas condutas, obras más e caminhos tortuosos.
Como cristão sou indiscutivelmente contrário à prática homossexual. Mas, não sou contra o homossexual. E tenho que aprender a distinguir isso.
Ninguém se aparta de um amigo quando descobre que ele é mentiroso. E isso é um pecado! Tecnicamente ele está mais pra filho do Diabo do que pra filho de Deus. E ninguém o discrimina...
Agora se o amigo é homossexual a história muda. E deveria mudar?

Homossexualismo é pecado...

...assim como o sexo antes do casamento, a masturbação e tantas outras práticas aceitas como naturais e bem-vindas pela maioria das pessoas no mundo ocidental hoje. Moças de família do século XX e XXI praticam essas coisas. Mas nós, cristãos bíblicos, cremos que são pecado.

Pois é, nós cristãos somos assim mesmo. Impopulares. Retrógrados. Com nossa postura, atravancamos o progresso de tantas causas que parecem boas e justas aos olhos dos homens. Mas não vamos pedir desculpas ao mundo por isso. Temos uma regra de vida e prática, expressa na Bíblia Sagrada, e não abriremos mão dela.

O que não significa odiar gays, insultar gays, espancar gays, matar gays. Assim como não odiamos, não insultamos, não espancamos nem matamos a grande maioria que faz sexo antes do casamento e se masturba. Apenas nos posicionamos quando pregamos ou alguém nos pergunta sobre o assunto. Nem por isso essa maioria se sente especialmente atingida pelo que cremos. Eles não estão nem aí. E, acreditem, temos grande afeto por muitas pessoas assim e convivemos com elas. Sem feri-las, mesmo quando procuramos partilhar nossa fé. Se elas se sentem atingidas, a gente resolve a coisa como deve ser: de um modo pessoal, na base da conversa.

Os ativistas, porém, do lobby gay, querem institucionalizar a aceitação, engarrafar as boas relações, automatizar o carinho, mecanizar a simpatia. E usam o Direito para isso: a coação, a sanção.

Será isso certo? Pensem bem. É bom esse tipo de aceitação, conquistada na marra, na força da lei? Com o atentado à liberdade de expressão, que é prerrogativa de todos os totalitarismos?

Quanto a nós, queremos ter a liberdade de continuar pregando e dizendo a nossos amigos e conhecidos: homossexualismo é pecado, assim como o sexo antes do casamento e a masturbação. Quem quiser, que nos ouça e se converta. Quem não quiser pode nos dar as costas, sair de nossas igrejas, escrever artigos contra. Não nos importamos. Mas que não queiram calar nossa voz. Não são palavras de violência, mas de amor.

Que Deus abençoe os líderes deste país para um pouco mais de sã racionalidade - e, por que não dizer, da verdadeira democracia.

Meu amigo Julio Severo chama a atenção para a Jornada Nacional Evangélica em Defesa da Vida e da Família, lançada no Congresso em 18 de setembro deste ano, com a participação de lideranças evangélicas. O evento discutiu infanticídio, aborto, homossexualismo, pedofilia, além de mencionar os perseguidos - mesmo antes da aprovação do projeto de lei sobre a homofobia! - que desagradam os lobistas: Márcia Suzuki, Olavo de Carvalho, Pr. Ademir Kreutzfeld, Cardeal Dom Eugênio Sales, Dep. Henrique Afonso, Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz, Dr. Humberto L. Vieira, Dra. Rozangela Justino, Silas Malafaia e Julio Severo. Imaginem como não será a perseguição aos cristãos quando a lei for aprovada! Precisamos nos mobilizar o quanto antes.


Veja o pecado do homossexualismo conforme a Bíblia:

Gênesis 1:27 – "Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou."

Marcos 10:6 – Palavras de Jesus – "...porém, desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher ."

Levítico 18:22 – "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher: é abominação."

1 Coríntios 6:9 – "Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas... herdarão o reino de Deus."

Romanos 1:18-32 – "...por causa disso os entregou Deus a paixões infames... os homens também, deixando o contato natural da mulher , se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro."

Norma Braga

3 comentários:

  1. Pecado é essas lideranças evangélicas organizarem uma força tarefa contra a inclinação sexual de alguns enquanto tem pessoas morrendo de fome em suas igrejas, sofrendo violência doméstica, sendo vítimas da corrupção política e eclesiástica, tratando seus velhos como cães, o próximo como o último e etc... O que será que é mais pecado? Cada um cuidar como quer do seu "tobias" ou com tantas mazelas a igreja se perder nessa "contenda de palavras e conceitos"?

    ResponderExcluir
  2. O Pastor Ungido Pelo Ódio
    Religiosos, fundamentalistas e hipocritas nunca discriminaram e ofenderam tanto como nos últimos tempos, estão agindo como verdadeiros hereges que agem em nome de Deus, usando palavras de baixo calão, que ofende e denigre a imagem de pessoas e grupos que não vão de acordo com o que eles estabelecem como o normal, o comportamento natural do ser humano que eles estabelecem e exigem que sejam adotados como o convencional. São pastores que se opõem a criminalização da homofobia, fazem discursos preconceituosos e ofensivos, é o papa que defende o padre pedófilo, e esconde casos de padres com envolvimento homossexual, e mesmo assim fazendo fortes criticas a homossexualidade, é muita hipocrisia religiosa para um país que se diz laico.

    O senador Magno Malta diz que se aprovado o PLC 122, a pedofilia será legalizada, e ele ainda acrescenta que um direito de minoria não pode prevalecer sobre a maioria, não consigo entender como existem pessoas que votam em pessoas tapadas, e que não conhece nem o artigo 5º da nossa constituição federal que diz que “TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI”, é inaceitável que um dos mais importantes senadores do Brasil diga que um direito de minoria não pode prevalecer pela maioria, dando uma declaração preconceituosa, inconstitucional e criminosa, é tolerável que um cidadão comum não conheça o artigo 5º da nossa constituição federal, mas isso vindo de um senador é inadmissível, estamos colocando analfabetos funcionais para nos representarem, para nos representarmos numa das casas mais importantes desse país, que é Senado Federal.

    Outro caso que não consigo entender, é como um homem que diz que é ungido de Deus, mas para mim é ungido pelo ódio pode ser contra um projeto de lei que assegura igualdades aos seus semelhantes, um projeto de torna crime o fato de um empregador demitir um sujeito porque ele é gay, que torna crime a proibição de um gay num local público, que sobretaxa empréstimos e financiamentos para gays, que garante o poder de livre expressão, e a punição de agressões, não entendo porque um crápula chamado Silas Malafaia tem a capacidade de se opor a isso, ele está promovendo uma manifestação no dia 25 de junho em frente o Congresso Nacional, além de promover o ódio e o preconceito em seu programa de televisão, e ainda depois das ofensas ele diz que paga pelo programa e fala o que ele bem entender e reserva o direito para os ofendidos processarem ele, mas logo após ele pede doações para manter o programa, ou seja, ele não paga nada, apenas é uma besta que rege uma sociedade de cegos e ignorantes que doam o seu dinheiro para um programa cretino e homofobico.

    O programa apresentado por ele em várias redes de televisão está sujeito a uma reclassificação pelo Ministério Publico, foi aberto um processo para colocar o programa após as 8 horas da noite, pois o programa apresenta um linguajar depreciativo e homofobico, hoje temos até pastor de boca suja, mas o que esperar de religiosos fundamentalistas que transformam a religião em um grande comércio, Silas Malafaia já defendeu o Edir Macedo, hoje critica, o mesmo também faz fortes criticas ao casal Hernandes que se encontram presos nos EUA e tem a prisão preventiva decretada no Brasil, mas ele se esquece que a sua filha se envolveu num escândalo de desvio de dinheiro na igreja onde ele é pastor no Bairro da Penha no Rio de Janeiro, isso nos prova que ele é um ser hipócrita incapaz de olhar para sua corja, para a sua cria, está muito ocupado soltando ofensas, falando palavras de baixo calão, enquanto a sua filha está seguindo os passos do pai na tesouraria da Assembléia de Deus da Penha, isso é lamentável, mas é esperado, hoje já perdemos a conta de quantos pastores de envolveram em escândalos financeiros.

    Espero que haja uma resposta do Movimento Gay do Brasil sobre o ato que acontecerá no dia 25, está na hora de agirmos, não podemos assistir isso de camarote, esperando que esses crápulas, que sabemos que infelizmente formam opinião no Brasil, manipulem o povo no que diz respeito a um projeto de lei que é muito importante para a conquista de direito gays no Brasil, se eles podem fazer atos públicos, nos também temos que fazer, temos que exercer os nosso direitos, vejo muitos gays empenhados no esforço da aprovação da PLC 122, mas vejo muitas ações promovidas pela internet, precisamos ir a campo como eles estão indo, acabamos de ter um Congresso que teve muita visibilidade no Brasil, mas temos que fazer atos públicos específicos para a conscientização da necessidade da aprovação de PLC 122, a comunidade gay não pode sofrer essa derrota no legislativo, isso é o básico que podemos ter, não podemos permitir que crimes de homofobia e intolerância continuem sendo julgados segundo o bom senso do judiciário, temos que ter um respaldo jurídico, e se não conseguirmos isso com a PLC 122, não vejo outra forma a médio e longo prazo para essa conquista, os legisladores do Brasil não estão dispostos a legislarem em favor da causa gay, somos órfãos políticos desse país, estamos com o futuro entregue a sorte, e se não fizermos barulho, se não mostrarmos que estamos aqui e insatisfeitos, a situação não mudará.

    http://passageirodomundo.blogspot.com/2008/06/o-pastor-ungido-pelo-dio.html

    ResponderExcluir
  3. rotular Pastor silas de crápula pelas costas é facil
    quando estão na frente dele ficam todos bem comportados com voz mansa.
    honestamente estou mentindo kkkkkkkkkk.

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs