21 de jan de 2008

Mulheres sem Deus...

O sexo está aí! Queiramos ou não, ele está aí! Ele apela! Ele grita! Ele aparece... Na TV, na Internet, na rua, nos Outdoors, nas propagandas, nas "rodinhas" de amigos(as), em casa, no colégio, na faculdade... na nossa mente!
Nós, homens, que prezamos pela santidade, sofremos com a pornografia deliberada e inescrupulosa que está à solta. Não basta não procura-la. Ela está atrás de nós. Ela nos persegue como um predador faminto, sem misericórdia, sem afeto...
O sexo te chama no ônibus, ele te cerca no trabalho... A pornografia, o sensualismo, a luxúria aparece nos filmes, nas novelas, nos seriados, nos quadrinhos... algo está muito errado por aqui!
Infelizmente, através da moda, o forte apelo do "sexy fashion" está nas igrejas. Já evitei de ir a algumas igrejas, porque me era um martírio estar num local onde o mais conveniente era fechar os olhos. Desviar o olhar. Abaixar a cabeça.
E não era porque a igreja tinha uma grande demanda de mulheres "mundanas" não. Eram "servas" de Deus. Assim penso, porque com o que quase mostram estão mais para servas do deus da luxúria.
Quantas reuniões de adoração já participei onde os ajudantes tinham que ficar correndo de um lado para o outro com uma toalhinha para esconder as intimidades de adoradoras extravagantes que se jogavam ao chão com mini saias e decotes, pouco preocupadas com pudor.
Recentemente comentei com minha namorada durante uma missa sobre o fato de as mulheres, até mesmo casadas, estarem tão pouco vestidas. Fiquei matutando: o coitado do cara vem pra igreja pra ver se tenta ficar menos safado e acaba defrontando-se com pernas, coxas, peitos, decotes, marcas de calcinha, barriguinhas, batas (ou camisolas), mini saias, calças que delineam perfeitamente o corpo de belas donzelas. Assim penso que não dá!
Não basta simplesmente não buscar pornografia. Temos que fugir dela. Não basta sairmos do "mundo" e entrarmos na "igreja", elas também estão lá. Elas, mulheres piedosas sem Deus! Que aderiram ao apelo da pós-modernidade. Apelo fortemente sensual. O mercado do prazer, do sexo. Onde a mais sexy e a mais gostosa prevalece. Elas estão em nossas igrejas, na faculdade, no colégio, na rua... estão na nossa cabeça! Se parecem com mulheres de verdade, mas são menos que isso. São "peitos" e "bundas" que tem a capacidade de andar.
Em tempos como estes devemos preservar a pureza e a santidade. Ainda há mulheres que sabem o que é isso - Tenho certeza. Eu encontrei a minha! É, portanto, uma questão de conscientização em massa que começa no seio da sociedade, a família. A mídia está fazendo o trabalho dela. Está incucando em nossas pequenas meninas uma sexualidade pervertida, informe, precoce e sem propósitos. As igrejas ao invés de remar contra a maré, não estão muito preocupadas com esta questão - ao menos é o que parece. Não estou propondo aqui um tipo de postura legalista onde as mulheres são privadas de sua vaidade, proibindo calças, corte de cabelo, maquiagem, enfeites e etc. Estou propondo que como pais, mães, líderes, pessoas em foco, façamos um trabalho que aborte o discurso sexual das mídias de massa, a Globo(lização), a banalização da pornografia, e ensinemos nossas meninas (e meninos) o real valor do corpo como templo do Espírito Santo. Ensinemos no - não "o" - Caminho em que elas devem andar para que quando cresçam e se tornem lindas mulheres, possam valorizar e jamais vender o belo corpo que possuem. Jamais vender a imagem sexual de seus corpos. Mas, antes, guarda-los como sacrificio de louvor a Deus. E com toda pureza e dignidade entregarem-se ao homem que as amam de verdade. Nós, homens, já possuímos muita imaginação a serviço da nossa libido, e a luta em nossas mentes e corações contra os pensamentos impuros é uma constante. Precisamos de mulheres, servas de Deus, que contribuam com o seu respeito, sua moderação no vestir e sua pureza e santidade para com o próximo.
O desabafo a seguir foi extraído do SEXXXCHURCH.com, um trabalho que entendeu a necessidade de lutarmos contra essa onda da pornografia, do sexo banalizado e do mercado da prostituição que financia toda essa merda.

Tenho 34 anos e estou solteiro. Até os meus 26 anos, eu vergonhosamente cedi à luxúria enquanto eu visivelmente desfilava, me mostrando como um forte homem cristão. Mas hoje, por causa do sangue de Jesus e do profundo arrependimento, eu posso dizer que eu não sou mais aquele homem. E o trabalho da graça de Deus não só tem me ensinado a negar o pecado dos pensamentos cobiçosos, mas a ir um passo adiante e verdadeiramente procurar honrar vocês como irmãs em meus pensamentos.

Eu desejava poder escrever para vocês e dizer que eu sou capaz de entrar na igreja sem medo de encontrar a tentação da luxúria; mas eu não posso. Na verdade, pra ser honesto, nos últimos oito anos eu até tinha decidido não ir à igreja mais do que em uma ocasião, porque eu sabia que eu era muito fraco pra enfrentar algumas das mulheres lá.

Enquanto eu digito, eu ainda posso lembrar as poucas vezes em que eu realmente tive que me virar e ficar de joelhos durante alguns dos serviços de adoração porque eu não queria ser mais cativado pelas garotas do grupo de adoração do que por Deus. Também houve várias outras vezes em que eu tive que intencionalmente olhar para o chão enquanto eu andava pelos corredores, para evitar a mesma coisa. Eu não desejava colocar a feiúra do meu passado para trás, então eu não alcançaria tal longitude. Mas honrar vocês e meu Deus agora significa mais pra mim do que minha própria indulgência.

Então, eu espero que o que eu estou pra compartilhar irá ajudar aquelas de vocês que se vestem sem a mínima consideração por essas coisas.

Vocês são bonitas; sim. Isso tudo eu posso ver sem vocês fazerem nada para me convencer. Mas por favor, não me seduza para que eu note você. Não é suficiente Deus ter favorecido vocês com a beleza que vocês possuem? E que Ele te fez um presente para o seu atual ou futuro marido? Por favor, me ajude a me alegrar com ele em vez de me tentar a roubar você dele.

Eu entendo que o mundo da moda está se tornando cada vez mais chamativo, e isso faz com que seja cada vez mais difícil achar roupas bonitas que sejam decentes. Mas vocês pensam em minha fraqueza enquanto vocês se olham no espelho do provador? Se vocês apenas soubessem com que freqüência às vestimentas indecentes que vocês usam fala comigo, talvez vocês vissem a si mesmas diferentemente.

“Mas você é responsável pelos seus pensamentos, não eu”, você deve pensar. E sim, você está certa. Eu devo ficar perante Deus e prestar contas de todos eles um dia. E você era uma mulher do mundo que eu não mediria esforços para fazer meu apelo. Mas você usa o Nome de Cristo que nem eu. E você me chama de irmão.

Meu desejo é honrar vocês; ainda que haja vezes que vocês se vistam como se não quisessem que eu as honrasse. Eu imploro a você: por favor, considere essas coisas. Eu falei aberta e honestamente. Mas eu me esforcei para fazer isso em amor, e não como crítica.

Com sincero amor,
Seu irmão em Cristo

Encontrei esse vídeo super radical no YouTube sobre Mulheres sem Deus, vale a pena ver e repassar... principalmente para as mulheres! É um outro trabalho muito interessante que contraria a cultura do sexo chamado Teologia do Corpo.

3 comentários:

  1. "Aquele que conheceu apenas a sua mulher, e a amou, sabe mais de mulheres do que aquele que conheceu mil"....



    Leon Tolstoi

    ResponderExcluir
  2. muitos casos semelhantes seriam sanados se simplesmente o "NÂO FAÇA" deixasse de ter tanta importância no mundo cristão! Não pense numa flor, não a imagine, é PROIBIDO!!! não pense q ela tem pétalas, que pode cheirar gostoso, que pode ser bela e atraente, ser vermelha, amarela... Não olhe para aquela irmã com cobiça nos olhos, NÂO FAÇA isso, não! Não pense nela nua, não pense nos seios dela, não a imagine naquelas posições sensuais, não olhe, mas nãããããooo olhe para o decote!! pare!!!

    af!!! Jesus fez o sermão dos que SÃO! Felizes os que são isso ou aquilo, e não dos que NÃO SÃO!

    ResponderExcluir
  3. é cada dia que passa eu penso so jesus na calsa mermo.....

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs