17 de jan de 2008

O(fer)TARIO


Ofertar é um ato que demonstra nosso desprendimento com o materialismo. É uma ação de fé! Mas, além de tudo, é a expressão de um ser que tem a compreensão de que nada do que ajuntamos aqui neste mundo pode ser herdado no mundo porvir. E que o único empreendimento ou investimento - por assim dizer - que pode ser colhido e desfrutado no Reino é a caridade.
Entendo que ofertar numa "igreja" aos cansativos apelos de um pastor, ou de um bispo, ou de um apóstolo... que seja, não tem muito haver com caridade (estou generalizando, é claro. Existem muitos ministérios e projetos vinculados a igrejas que desempenham um trabalho relevante para os necessitados. Dignos portanto de nossas ofertas).
Não creio que sustentar impérios denominacionais, templos luxuosos e de alta tecnologia sejam uma expressão de caridade. Tão pouco gastar com manutenção fixa de santuários, salões e prédios. Acredito que caridade começa com os próprios irmãos de fé. Quantos em meio a arrecadações para reformas da igreja não estão com sérias dificuldades financeiras em casa? Já testemunhei muito esta situação. Aquela família menos favorecida - e as vezes pouco relevante no papel local da igreja - que sempre está ali aos domingos, passa totalmente despercebida diante de uma campanha para comprar novos equipamentos de som, instrumentos musicais e reforma da fachada. Não se vestem tão bem quanto o restante e de aparência pouco atraente. São estes as primeiros atingidos pela ignorância e individualismo em comunidade. Penso que caridade seria cuidarmos dos nosso irmãozinhos que tanto necessitam, e tão logo, estes estejam supridos, cumprirmos nosso papel social e estendermos o raio de ajuda ao bairro, com famílias que precisem do nosso apoio - independente de confissões de fé - e, conforme nossa riqueza, crescermos de forma a contribuir com a mensagem do Evangelho aos pobres. Utopia? Não sei! Sei que é o que está escrito naquele livro que o pastor tanto distorce e faz peripécias interpretativas a fim de convencer multidões a ofertar em favor da "igreja".
Onde estamos investindo nosso dinheiro? Prosperidade ou Caridade?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs