11 de fev de 2008

...



Estou me transformando em alguma coisa. Alguma coisa que espero condizer com o que tanto almejo ser.

Quero ser relevante no Reino. Quero ser mudado por Deus. Quero ser segundo o coração do Pai. Quero ser... mas, não sou!

Entre encantos e desencantos. Entre fé e dúvida. Entre santidade e pecado. Entre o Céu e o Inferno. Parece-me que estou apenas entre...

Ora ao lado de anjos, ora demônios. Ora fazendo o bem, ora o mal. Ora crescendo, ora decaíndo. As ondas da minha espiritualidade fazem-me ter receio de que sou de ânimo dobre...

Às vezes, transbordo em alegria e, logo então, rendo-me à uma melancolia tal que fica difícil alguém me suportar. Exalo um humor desleixado, e como que de supetão, ataco com escárnio e ironia, num humor impertinente. Tenho a ligeira impressão que vez em quando passo por desagradável...

Ouço de várias simpáticas e adoráveis mães que eu seria o genro ideal para elas. Em contrapartida, não posso dizer se minha sogra concordaria com elas. O que seria? Desconhecimento e ignorância em relação a mim de ambas as partes?

Alguns amigos brincam que eu daria um ótimo satanista. Que qualidades evocam tal conjectura?

Sabe quando sua vida parece não estar caminhando para lugar algum? Aquela sensação de inércia constante? Aquela coisa que os aderentes à Maldição Hereditária chamam de MALDIÇÃO HEREDITÁRIA! ? Pena que não acho muito plausível essa ótica das coisas. Caso contrário, resolveria com uma sessão evangélica num culto de libertação, ou alguma coisa do descarrego...

Alguma coisa está errada e ainda não sei o que é. Sei onde não devo estar, e para onde não devo ir, mas não sei por onde dar continuidade daqui.

Como pode alguém que já falou "fluentemente" em línguas, de orações públicas dignas de lágrimas e sentimentos de serenidade espiritual, hoje, mal balbuciar um Pai Nosso?

É uma crise existencial com uma crise de fé miscigenada. As vezes me sinto como o patinho feio. Ninguém se assemelha a mim, e há problemas por causa disso. No entanto, sei que existe uma família da qual faço parte.

A guerra está armada. Há uma crueldade nos pensamentos. Violência intransigente nos raciocínios. *A selva é na minha cabeça...

...mas, não pode mandar no meu coração. Um sentimento é muito mais forte que um pensamento.

Meus olhos são amplos. No entanto, minha alma não pode ser comprada... Minha mente pode viajar...

Eu estou num lugar chamado Vertigem... E isso é tudo que eu queria não saber! As luzes se vão e tudo que sei é que Você me dá alguma coisa...

...Que posso sentir o Seu Amor me ensinando como... Aaahhh... Seu Amor está me ensinando como ajoelhar...


*Frases extraídas da música Vertigo do U2.

Um comentário:

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs