1 de mar de 2008

Sobre o caminho de Emaús

Lucas 24 : 13 - 31

A história contada pelo evangelista é das mais belas e importantíssima,com relação ao atual momento do cristianismo. Recomendo que aqueles que ainda não leram o façam antes de prosseguir com essa leitura.

De toda a beleza textual gostaria de destacar algumas que devem ser úteis pra jornada de qualquer cristão. Primeiro que algumas vezes Jesus anda ao nosso lado e nem percebemos. E não estou falando apenas durante os problemas ou quando estamos precisando de alguma benção, falo sobre sempre que estamos a caminho.

Alguma vezes mal podemos perceber que se trata do próprio Deus, o todo poderoso, achamos que é apenas mais um ao nosso lado, mal damos atenção.

Jesus, muito diferente de tanto dos seus atuais representantes diretos, não era afeito a grandes pompas, ele era simples, tão simples que podia estar com ricos ou pobre (e mesmo com os dois ao mesmo tempo) com a mesma roupa e o mesmo linguajar, de tal forma que ele podia ser confundido com apenas mais um no meio da multidão, ou apenas mais uma pessoa andando num final de tarde. Quem será que não reconheceria um bispo de terno bem cortado andando na rua (Ah! Esqueci. Bispos não andam a pé, nem se misturam com a multidão)?

Quando entraram em casa, debaixo da insistência dos discípulos, sentou-se à mesa e pôs-se a partir o pão. Nos conta o evangelho que Jesus fizera muitos milagres durante a sua vida: curou enfermos, ressuscitou mortos, deu vista aos cegos; andou sobre as águas, multiplicou os pães e os peixes, alimentando uma grande multidão; Pregou às multidões, anunciando o Reino de Deus, deixando palavras que mudaram o mundo. Mas junto aos discípulos, quando quis mostrar ser Jesus, o Messias salvador, simplesmente partiu o pão e deu graças. E assim desapareceu.

Jesus pode ser reconhecido num ato tão simples, mesmo tendo poder para qualquer um dos milagres. Isso é uma lição das mais importantes para todo cristão: qualquer um pode demonstrar a presença de Cristo. Como? Simplesmente partindo o pão no momento da angústia (ou mesmo andando pelo caminho).

Ao contrário dos atuais representantes do Messias, ele se apresentava nas coisas simples, eles acham que ele só será notado no meio do espetáculo, dos grandes sinais e dos prodígios. Simplicidade é para os fracos.

Glória a Deus, que se fez fraco por nós.


Retirado do Discípulos de Zwinglio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs