2 de abr de 2008

Anônimo espero que leia


Recebi um comentário anônimo (rs - da próxima ficaria cordialmente grato pelo nome) referente há um post que escrevi intitulado CRISTO É INSUFICIENTE.

Estou sufocado em decorrência do meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) e não sobra muito tempo para escrever. De forma que na medida do possível, leio algo interessante e posto para deleite dos visitantes do blog. Contudo, não resisti a escrever esse post.

Acho que o comentário é pertinente a elucidações tenazes sobre a Igreja e sobre as igrejas. Entendendo que Igreja com “I” refere-se à noiva de Cristo, o povo eleito, sacerdotes e reinos estabelecidos por Cristo Jesus nosso Senhor sob a Nova Aliança no seu Sangue. É o Corpo místico de Cristo espalhado pelos confins da terra. Esse Corpo não limita-se ao escopo ou concepção de vinculação das instituições humanas. E, igreja com “i” diz respeito à instituição fundada, organizada, estabelecida e regimentada por tradições, costumes, liturgias e doutrinas oriundas apenas do homem. É todo esse sistema que possui um escopo pré-estabelecido e ordenado hierarquicamente e separa os cristãos em leigo/clero. Esse sistema religioso é passível de [di]Visões Celulares (permitam-me o trocadilho) e criação de denominações e denominações.


De posse dessa prerrogativa gostaria de inserir minhas observações ao comentário do querido irmão anônimo, do qual desde já agradeço a preocupação e exposição de opiniões. Minhas observações inseridas no comentário sobressaltam em negrito. Segue o texto:


Respeito a sua posição de crer em Cristo, mas sem ter vínculo com uma Igreja (não tenho vínculo com “i”greja). Mas não concordo. Gostaria apenas de apontar algumas razões, para reflexão. Ninguém precisa concordar comigo.

1) Desde o Antigo Testamento, Deus não chama indivíduos isolados, mas um POVO. Os profetas, por mais solitários que se sentissem muitas vezes, eram homens e mulheres do povo de Deus;

2) Se o sr. valoriza a Bíblia, não pode não valorizar a vida em comunidade (Não desvalorizo a vida em comunidade. Aliás, preciso dela...). Jesus ordenou, por exemplo, que todos fossem batizados e fizessem discípulos (Mt 28.19), e também que celebrassem a Ceia do Senhor (1Co 11.23-25). Eu fico imaginando como é que o sr. pode obedecer ao mandado de Jesus de fazer discípulos, batizar e celebrar a ceia isolado(Não tenho pretensão alguma de alienar-me e viver uma cristandade isolada. Freqüentar um culto não é necessariamente a maior expressão de comunidade e comunhão. E o lugar desse culto muito menos é o único para que se efetue isso);

3) Hebreus diz o seguinte: "Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima" (Hb 10.25). Se o sr. não "congrega", ou seja, se não vive em comunhão com o corpo de Cristo, com os irmãos e irmãs, se reunindo em comunidade para adorar, estudar a Palavra do Senhor e celebrar os sacramentos ordenados por Cristo, o sr. não está agindo de acordo com a orientação de Deus(Aqui confunde-se “congregar”, edificar-nos uns aos outros, viver em comunhão para adorar, estudar a Palavra e celebrar a Ceia e a festa do amor com o freqüentar uma reunião nomeada - culto, missa, ritual etc - , participar friamente da celebração da Ceia sem o mínimo afeto e partilha de vida com os membros, e ouvir um monólogo cansativo e inebriante da mesma pessoa “gabaritada” para pregar a palavra.);

4)Ao afirmar que o sr. não concorda com as divisões entre as igrejas, ao optar por vivenciar a sua fé "individualmente" apenas(porque não ser filiado a uma denominação é sinônimo de “individualismo”?), o sr. se tornou o pior de todos os cismáticos, pois os demais, pelo menos, se reúnem em grupos!(Aqui está um ponto interessante, não me lembro de ter dito que não me reúno – Igreja = Ecclésia: congregação, ajuntamento, reunião – em grupos e partilho da mesma fé com outros irmãos)

5) Fui católico romano(Já fui também. Não praticante é claro). Sou protestante por convicão(Já fui também. Praticante é claro). Também não concordo com o grande número de denominações(Também não concordo), mas creio em Deus(idem), procuro viver em comunidade(idem), conforme orientação das Escrituras(justamente as orientações das Escrituras), e promover não divisão, mas paz;

6) A Igreja é corpo de Cristo. Se o sr. acha que viver a fé apenas individualmente é suficiente(Não endosso o viver solitário da fé), está agindo como um dedo que se recusa a se unir com a mão. E um dedo, sem a mão, está morto!

Por favor, não quis ofender(Não ofendeu, por isso não precisava ser anônimo), mas apenas dar a minha opinião(Fico muitíssimo contente com sua opinião, com certeza, é para mim oportunidade de edificação, reflexão e meditação. Obrigado!).


Tenho aprendido o valor de uma ortodoxia generosa e a assimilar mais as melhores coisas que posso abstrair das tradições cristãs. Tendo paz com todos e prezando por minhas convicções e respeitando as convicções alheias.

2 comentários:

  1. Grande Thiago!

    Rapaz, que post interessante. Eu não tinha lido o post anterior, pois só comecei a ler seu blog no mês passado.

    O nosso querido amigo Anônimo tentou, da forma como ele acredita ser correta, salvá-lo de si mesmo.

    Digo isso porque possuo um bom número de pessoas que estão mui interessadas em me "salvar" também. Porque penso demais, porque repenso demais, porque eu simplesmente não me conformo.

    Eu ainda congrego numa "i"greja. Mas hoje só consigo fazer isso porque o meu vínculo é com pessoas e não mais com uma instituição. Ir a igreja representa me encontrar com aqueles camaradas que eu tanto gosto.

    Todas as sextas temos uma reuniãozinha na minha casa onde umas 15 pessoas tentam viver o evangelho pra valer.

    Acho que a diferença tá nisso. Pra mim a igreja só é suportável porque consigo viver "I"greja com alguns que estão lá dentro.

    Hoje, para viver igreja nos moldes que aí estão. Eu já estaria fora há tempos.

    Pena que você não é aqui de Uberlândia, ou te convidaria para uma das quintas feiras onde alguns caras aqui se reunem para discutir "i"greja e tentar aprender o que é "I"greja e vivê-la como deve ser.

    Grande abraço Cara.

    Meu amigo anônimo. Sua atitude é genuína e Deus te abençoe por isso! Sei que sua intenção é recheada de amor! Muito obrigado mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o tema discutido e evidenciado pelo nosso caro amigo anônimo vs Thiago Medanha, a propósito isso não é uma batalha, apenas uma discussão livre de opiniões e controvérsias, o importante é ter sua própria opinião: a minha, por exemplo, é de LIBERDADE! Não necessariamente precisamos “congregar” (estar entre quatro paredes) para saber que DEUS existe (e é único), não precisamos nos prender em dogmas religiosos (RELIGIOSIDADE é enganar a si mesmo!). Ninguém é santo! Somos pecadores lutando contra a carnificina que é abominável aos olhos de DEUS. Precisamos ter consciência do podemos e devemos fazer sem nos prender ao “mundo religioso” e a ciência do certo e errado, bem e mal...
    Enfim, "Crítica que principia por nós é a melhor de todas." (Camilo Castelo Branco).
    Abraços!!
    (Juliano Antunes)

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs