7 de abr de 2008

Mero detalhe

O lado demoníaco da espiritualidade abraça intimamente a auto-estima, por isso é necessário que o demônio esteja presente em praticamente todas as perspectivas das palavras otimistas. O pêndulo das ações está alicerçado entre as bênçãos divinas e os ataques do inimigo. Não há razão para exercer o cristianismo - de acordo com a ótica da contemporaneidade - senão pela vantagem da bênção, da mesma forma que lutas demoníacas incentivam a superação gradativa dos problemas diários. Por isso é sempre aceitável a reafirmação de que cristãos devem ser poderosos, detentores do fogo da vitória, e otimistas vencedores declarados do Mal. Tal ânsia por poder chegou ao ponto inimaginável: provar que o cristão tem poder se tornou necessidade ao sistema institucional. Nas comunidades onde o poder adentrou no abismo da loucura, metáforas são provadas por meio da convicção. Basta saber agora se há esperanças de encontrar o lado cristão da espiritualidade não contaminado por essa sujeira. E o que mais me intriga é fazer parte dessa mesma contemporaneidade.

Fonte: A ignorância é uma escolha.

O texto citado acima, expressa com bastante propriedade a situação da cristandade contemporânea. A experiência desgastante descrita no post anterior é fruto dessa espiritualidade contaminada pelo poder "aquisitivo", diga-se de passagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs