7 de mai de 2008

Atos Desproféticos

Porque a maioria dos cristãos opta por viver uma vida surreal? Amuletos encantados pra todos os gostos ( rosas, fogueiras, terra de Jerusalém ), corredores de sal grosso, campanhas mirabolantes para tudo o que se possa imaginar, atos proféticos, regressão. Transformar batalha espiritual em ficar dando sete voltas em alguma coisa, ou sessões de “cura interior” que tem como principal objetivo ficar lembrando-se de traumas que você teve no passado que atrapalham sua vida espiritual hoje. E poderia ficar aqui o dia inteiro descrevendo toda esta onda de misticismo e superstições ( evangélicas ? ).

Quando olho pra tudo isso, fico extremamente perplexo. Como existe gente preocupada com as mais esdrúxulas bizarrices e se esquecem de que esta não é a verdadeira proposta do Evangelho. A proposta do Evangelho de Jesus não é criar um semideus, mas criar um NOVO homem que se renova dia a dia com a Palavra. Ou seja, o verdadeiro objetivo não é criar seres humanos com visões limitadas sobre a vida, mais criar seres humanos que entendam quem realmente são, que vivem com integridade a humanidade que lhes foi proposta, que conhecem o seu criador e os seus objetivos, e se dispõe para ajudar a escrever esta história. Um ser humano que tem consciência eterna e sabe que a morte não tem mais poder sobre ele, e apregoam coisas como amor e justiça, que tem em Deus um refúgio e que pode contar esporadicamente de uma intervenção divina em alguma coisa, mais que isso não vai depender da sua vontade, e as intervenções não serão panacéias. Isto não tem nada de sobrenatural, isto é muito humano.


Eu acredito no poder divino, no mundo espiritual, em milagres, tanto que consigo imaginar um Deus todo poderoso tomando a forma de um ser humano limitado, porém um ser humano genial. As pessoas querem tocar no mundo espiritual, mas nem se conhecem ainda como humanos. Querem declarar coisas no mundo espiritual com uma pseudo-autoridade usurpada sem nem ao menos entender o que é amor ao próximo, o que é amar os seus inimigos, o que é fazer justiça em um mundo de injustiças e sem ao menos experimentar ou absorver o sofrimento humano deste mundo frio e mesquinho. Não consigo entender, afinal, Deus faz um homem a semelhança dele (inteligente, com sentimentos e livre arbítrio), mais as pessoas têm a cega ilusão de que Deus tem que fazer tudo por elas. Ignoram Jesus dizendo: “terei no mundo aflições, pois eu também sofri” , quando preconizam que por ser filho de Deus, não podem sofrer, porque temos o “direito” de ser prósperos por exemplo.


As pessoas ignoram seu próprio papel na terra. Elas querem viver o mundo denominado coloquialmente de “mundo espiritual”, sem nem ao menos saber o que é viver a humanidade nos padrões de Jesus.Bem vindos ao mundo real: Deus não vai mover uma palha naquilo que você mesmo pode fazer, afinal ele não te fez a semelhança dele para você ficar parado achando que as coisas irão cair do céu, porque você deu sete voltas em torno de algo, ou porque você fez uma campanha poderosa, ou porque você passou trouxe pra casa uma rosa ungida.Quer ser realmente como Jesus? Aprenda a amar, e a fazer justiça. Aprenda a gostar das pessoas e respeitá-las simplesmente por aquilo que elas são. Aprenda a compartilhar a salvação que está proposta pra você com todos e não achar-se a elite porque conheceu esta verdade antes. Quer ser como Jesus? Seja um ser humano genial como ele foi, seja um líder inspirador, uma pessoa integra e verdadeira, que em cada gesto se pode ver um milagre. Se dispa do elitismo, da religiosidade, da falsa ilusão de favorecimento divino.


Você que quer lutar contra potestades, contra o príncipe das trevas e coisas afins, lembre-se que a única maneira que você tem pra lutar é humanamente. Jesus na tentação do deserto não usou nenhum poder sobrenatural pra vencer Satanás. Ele usou sua convicção, seu conhecimento da Palavra, sua confiança e amor a Deus Pai, sua fidelidade a Deus, seu livre arbítrio em escolher a adorar a Deus e não a Satanás, ignorou sua condição precária naquele momento ( fome, deserto, sozinho ) e confiou que ele poderia sair daquela situação, ele mostrou que tinha foco, que sabia quem ele era e o que tinha a fazer, nada de poderes mágicos, superstições, nada de uma vida surreal, apenas uma vida humana de integridade e dependência de Deus.Já diziam por ai: “ O maior desafio do ser humano é ser humano”


Flavio ( FHCA ® ) [via Stay Freak]


P.S. Há alguns dias debati com um amigo sobre todo esse misticismo e sua inefícácia. Defendi que não precisamos realizar "atos proféticos" para ganhar uma cidade, antes, viver uma vida profética e ganhar o meu vizinho. A sociedade é feita de indivíduos, e se cada indívíduo fizer a diferença em relação ao outro no sentido de brilhar como exemplo de Cristo, toda a sociedade será mudada... a cidade será ganha. É claro que ele sacou o famoso versículo "Nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra principados e potestades... blá, blá, blá". A questão é que quando denunciamos o sistema e as pessoas que o alimentam por pura perversidade, não quer dizer q estamos lutando contra carne ou sangue. Se fosse assim, não precisamos lutar através do voto, de greves, de sindicatos, de ONGs, de projetos e nada que contenha em seu objetivo majoritário, o envolvimento de pessoas (carne e sangue) tanto em relação à defesa quanto à denúnicia das mesmas.

O fato é que usam esse versículo de desculpa para alienarem-se da sociedade e das obrigações enquanto cidadãos, que como cristãos fariam muita diferença por sinal. Imagine Martin Luther King deixando de lutar contra o preconceito das pessoas porque sua luta "não era contra carne nem sangue"? Aff... Não o imagino dando sete voltas em torno da Casa Branca e mijando em pontos estratégicos para proclamar a vitória contra o preconceito...

Um comentário:

  1. Thiago, eles estão derramando cerveja na bandeira? Se for, eu tô aí nesse ato profético!

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs