12 de mai de 2008

Só no começo...

Ontem, reunimo-nos eu, minha namorada, meu primo, sua esposa e minha prima (com duas tias e uma avó à parte bajulando um priminho recém nascido). Há algum tempo que nos reunimos em virtude da afinidade e amizade profunda que temos uns com os outros.

Contudo, ontem, tratei com eles sobre organizarmos e definirmos conceitualmente nosso grupo. Queremos levar a sério essa caminhada como igreja do Senhor Jesus. Como um grupo orgânico que partilham da mesma vida em Cristo Jesus.

Foi muito legal! Acabamos cantando alguns "corinhos" da Harpa Cristã. E, confesso, (há alguns anos atrás eu me abominaria por isso - rs) foi muito gostoso louvar ao Senhor com canções e letras sãs e bem elaboradas.

Todos concordaram com a necessidade de nos organizarmos e investir nessa jornada de fé. Ao fundo, o som do DVD acústico do Roupa Nova. Falamos sobre a caverna de Adulão. Onde Davi se refugiou, atraindo para si, toda estirpe de gente. Endividados, amargurados e homens em aperto se juntaram a Davi. Adulão significa justiça do povo, refúgio, esconderijo. Traçamos um paralelo entre a caverna de Adulão e a igreja. A igreja tem negado a justiça, o esconderijo, a segurança e o refúgio a tantas pessoas. Não é raro encontrar alguém rejeitado pelos irmãos de uma igreja aqui, de uma igreja ali. Essas pessoas, às vezes, diferentes dos carolas que se encontram nos templos, não tem a oportunidade de encontrar um lugar de acolhimento, de tratamento da alma. A igreja deve ser justamente como na caverna de Adulão, onde Davi acolheu os rejeitados e excluídos da nação, dando a eles a oportunidade de crescimento espiritual, de tratamento para o coração.

E é essa a nossa proposta. Há muita gente por aí excluída de comunidades religiosas por serem questionadoras, pensantes, inconformadas e por não se enquadrarem no sistema religioso vigente nessas instituições. Bem como, há muitas pessoas que estão morrendo no pecado, gays, prostitutas, ladrões, viciados e perdidos sem noção alguma do que querem na vida. Estas pessoas, são postas de lado nas grandes reuniões e rejeitadas, criando feridas e mágoas que acabam por levar essas pessoas a distanciarem-se de Deus. Pois não são maduras o suficiente para distinguir Deus das podridões das igrejas.

Nós como corpos estranhos no meio institucional, nos sentimos na obrigação de acolher estes que tem um desejo e um amor por Cristo, mas que não se identificam com a hipocrisia e demagogia de pastores e "vice-Deus" espalhados por todo canto.

Há muito tempo queima em meu coração o desejo de plantar uma igreja. E isso tem sido tratado dentro de mim. Eu mesmo tenho sido tratado de alguma forma por Deus para alguma coisa.

Talvez nada ainda esteja tão claro como gostaria!
Só estamos no começo...

3 comentários:

  1. Se precisar de um companheiro, estamos ai.....
    Afinal, Anápolis não é tão longe, e ainda não esqueci do convite da Ceia com um bom vinho.
    Thiago, vai nessa força meu "amigo", penso ser o inconformismo e a indignação os maiores sinais da aprovação de Deus!
    Deus abençõe todos!

    ResponderExcluir
  2. Thiago do Céu!!!

    Meu caro, eu estou empreendendo o mesmo caminho aqui por minha Uberlândia junto a uns amigos.

    Sabe, existem mais pessoas pensando sobre isso no Brasil. Eu queria te sugerir (apenas sugerir) que você desse uma olhada no site do Caio Fábio, no link Caminho. Leia algumas coisas que estão lá.

    Tem muita gente no Brasil caminhando neste mesmo rumo que você procura!!! é muito bom saber que não estamos sozinhos.

    Qualquer coisa, fala comigo, eu já tô estudando o assunto há um tempinho.

    Abração cara

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs