5 de set de 2008

Quando os crentes davam certo 2

"Foram desleais e infiéis com os seus antepassados...."
(Sl 78.57)

Os crentes davam certo porque eles eram crentes. Ou seja, chegavam à igreja no meio de todas as dificuldades, porque eram confrontados com uma clara mensagem evangelística, por meio da pregação, dos testemunhos e dos hinos. Não havia crentes por tradição, nem por adesão, mas apenas por conversão. Todos os evangélicos conheciam o "Plano de Salvação", pois haviam sido expostos ao mesmo, e respondido ao mesmo. Agora, se esperava que passassem a compartilhá-lo com os outros. A tônica era a conversão, o novo nascimento, a mudança, a transformação, a certeza da vida eterna, o confessar a Jesus Cristo "como único Senhor e Salvador", que culminava com o rito de "profissão de fé" ou "Confirmação", de forma pública.

No culto, eram comuns os apelos para que as pessoas "aceitassem a Cristo", ou que "se entregassem a Cristo", levantando a mão, ou vindo à frente. Igrejas organizavam semanas, cruzadas ou campanhas evangelísticas, geralmente com um orador convidado, e toda uma preparação e divulgação, com distribuição de convites e folhetos evangelísticos. Nos cultos, com freqüência, se incluía o testemunho de conversão de um irmão ou de uma irmã, sempre na tônica: "Eu era assim, Cristo me tornou assim".

Como todos os crentes conheciam o Plano de Salvação e se esperava que compartilhasse com os outros, toda a Igreja era uma Igreja de evangelistas. As famílias crentes eram estimuladas, ao final do dia, a celebrar em torno da mesa da última refeição, o seu "culto doméstico", dirigido pelo pai da família. Convidavam-se parentes e vizinhos. Se alguém se mudava para outra cidade, o culto doméstico e cultos evangelísticos nos lares, de iniciativa dos próprios leigos (como expressão do sacerdócio universal de todos os crentes) era o início de muitas novas Igrejas, "o Senhor ia acrescentando aqueles que eram salvos".
Com todos passando pela experiência de conversão, conhecendo o Plano de Salvação e se considerando um evangelista, os crentes davam certo...

Robinson Cavalcanti, bispo anglicano.[via Pavablog]

Links relacionados: Quando os crentes davam certo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs