19 de out de 2008

E se a igreja fosse uma Matrix?


Neste fim de semana, fui assistir o famoso filme Matrix. Como sempre, inspirou uma reflexão que, mais uma vez, gostaria de compartilhar com vocês. O filme apresenta um interessante modelo atual para se pensar em "realidades paralelas". Por um lado, o filme mostra a realidade de uma humanidade cativa, onde as pessoas vivem trancadas em "cápsulas", imóveis e "adormecidas", e de um mundo destruído, no qual não há sol. Por outro, a realidade de um mundo psíquico, construída para controlar os cérebros dos seres humanos, por isso eles não estão conscientes, eles não veem a sua situação de imobilidade, encapsulamento e ignorância da realidade da humanidade e do mundo. Nestas "cápsulas" toda a energia humana é removida, transformada em uma espécie de pilha, função esta que dá sentido à suas vidas, é claro. Como os seres humanos estão "dormindo" dentro da matrix, não percebem isso e vivem em uma "realidade psíquica perfeita", suas mentes estão presas, eles não podem pensar livremente, e esta é uma armadilha para as suas vidas. O filme mostra-nos a Matrix como um sistema de controle.

O que aconteceria se a igreja fosse uma matrix?

Se a igreja fosse uma matrix, então seria um sistema no qual cristãos poderiam viver uma "realidade psíquica perfeita." Estar dentro da igreja iria proporcionar segurança, tranquilidade, conforto, "racionalidade" ... Este sistema sugaria toda a energia vital dos seus membros, e para eles isso faria todo sentido. Suas vidas estariam submetidas aos serviços do sistema, prisioneiros incapazes de pensar, mas com a consciência tranquila. Estariam encapsulados em seu mundo, isolados do mundo real, onde há trevas, onde não há sol, onde eles mesmos não estariam pois seria ruim para o funcionamento do sistema de controle que impera.

Se a igreja fosse uma matrix, então ela teria como objetivo distrair sua mente e isolá-lo da realidade: o que está fora da matrix. O mundo real, triste, cruel, escuro; um mundo onde o homem é auto-destrutivo e destrói tudo em sua volta... esse mesmo mundo com o qual Jesus comprometeu-se a salvar, sanar, curar, aliviar, acompanhar... Os cristãos estariam encapsulados em seus templos, imóveis, anestesiados diante de uma realidade sofrível, carente de amor. Incapacitados de alcançar o próximo. Eles não poderiam pensar, o que os levariam a atitudes irracionais, que seriam racionalmente justificadas, de maneira que suas consciências ficassem tranquilas, e suas vidas só fariam sentido se estiverem encapsulados em seus templos.

Se a igreja fosse uma matrix, estaria muito longe de onde Jesus está, estaria longe demais das pessoas necessitadas, estaria distante de conseguir cumprir sua missão, estaria muito longe de ser Igreja. Jamais poderia alcançar a missão que Jesus deixou e que encontramos no texto bíblico do livro de Mateus capítulo 13. Como é que podemos semear se estivermos encerrados em nossos templos? Jesus ensinou que o campo é o mundo, nós, seus discípulos, as sementes, temos que morrer para dar frutos, e ele morreu para nos dar os frutos da Salvação. Como é que podemos semear ao mundo se estivermos isolados dele, trancados em nossas idéias, nossos templos ...?

Se a Igreja fosse uma matrix, estaríamos alienados nela, e ficaríamos mais longe de obedecer à missão que Deus nos outorgou: amar ao próximo. Então como poderíamos amar quem não podemos conhecer , compreender, perdoar, com quem possamos conversar, compartilhar, abraçar ...? Jesus disse: "Isto vos mando: que ameis uns aos outros." João 15:17

Se a igreja fosse uma matrix, precisaríamos perceber, acordar, cuidar da nossa missão, comprometermo-nos com a realidade sofrível e servir o mundo como Cristo serviu. Seria necessário escapar e encontrar espaços saudáveis, para crescimento, onde a vida, a liberdade e os dons que Deus nos deu sirvam para servir aos outros. Certamente, se a igreja fosse uma matrix, iríamos encontrar muitos outros seguidores de Cristo, que fora dela, iriam para onde Jesus está, onde os homens e as mulheres que sofrem e necessitam de abraço e do amor de Cristo estão.

"O campo é o mundo; a boa semente são os filhos do Reino ..." Mateus 13:38

Deixando as suposições e imaginação de lado, e refletindo na minha fé em Jesus e no meu compromisso de amar ao próximo, eu ainda penso ... Será que a igreja é uma Matrix?.

Marcos Regalini (texto original em espanhol)
Colaboração do brother Gustavao K-fé

P.S.: Se a igreja fosse uma matrix, seria necessário tomar a pílula vermelha... certo? :P

5 comentários:

  1. Olá, amigo !

    Muito interessante este texto. Não tinha visto esta analogia entre a religião (ou igreja, como preferir) e uma matrix.

    Gostaria de fazer algumas considerações.

    A religião, ao contrário da "matrix", não oferece uma "realidade psíquica perfeita", mas algo parecido a isto.

    Se não vejamos, a religião oferece verdades prontas e irrefutáveis, que são obtidas por meio de revelações ou fontes de consulta de caráter duvidoso. Os crentes leigos, aqueles que nunca se deram o trabalho de estudar o mínimo de teologia ou a história da Igreja, não precisam pensar por si mesmos. Eles simplesmente acreditam e pronto. A partir daí, suas vidas serão orientadas por alguém portador de um dom ou virtude que lhe confere uma "autoridade" - inclusive para não ser questionado.

    No filme matrix, as máquinas dominavam os seres humanos. Poderíamos, pressupor que os pregadores dominam os "crentes" ? Não, embora haja várias exceções, claro. Mas, há muitos pregadores que também acreditam em suas doutrinas. Haveria, portanto, um "algo maior" que estaria manipulando, ou melhor "direcionando" os crentes ?! Mas, o que seria isto ?

    Somos seres racionais, mas também somos animais. Somos criaturas vulneráveis num mundo hostil. O medo do trovão, das tempestades, das guerras, das catástrofes fazia os antigos buscarem uma proteção sobre-humana. Em virtude disto, mitos eram criados para dar sentido a algo que era fruto não de um acaso, mas de um processo seletivo natural.

    Todavia, os próprios mitos passam por uma evolução adaptativa, ganhando novos aspectos que o tornam mais sofisticados.

    Contudo, se os mitos mudam, as necessidades mais básicas do ser humano não mudam. Ora, queremos nos sentir protegidos, amparados, amados, desejados e, em alguns casos, "especiais". É nisto que opera a "matrix" religiosa: no suprimento de carências psíquicas, gerando uma convicção que o faz acreditar numa dimensão paralela, o qual não temos qualquer prova de que exista. Em troca, o fiel dedica-se ao nobre serviço de arrastar outros incautos a esta realidade o qual, repito, não temos provas.

    Então, na minha modesta opinião, eu diria que a religião pode, sim, ser uma matrix, onde a busca pelos porquês não respondidos, a necessidades de amenizar os problemas cotidianos, o medo do mundo e de si próprio e a insatisfação com a própria existência faz com que uma multidão de fiéis se forcem a dar crédito a algo que, em si mesmo, não mudará suas vidas. Entretanto, poderá criar vínculos, algumas amizades verdadeiras, alguns matrimônios bem sucedidos, bem como uma sensação de felicidade que reside, apenas, na auto aceitação de seus defeitos e qualidades.

    Não obstante, reconheço que coisas positivas podem ser feitas pela crença em tais mitos e, se isto é necessário para acalmar as inquietudes de vossos corações, então digo que continuem no tal caminho.

    Saúdo-vos e felicito-vos pelas (boas) obras que, por ventura, vós podereis fazer.

    Abraços fraternais !

    ResponderExcluir
  2. Uhullllll e já tomei minha pílula!!! hehehe

    O texto do comentário aí em cima parece bem bacana... mas tô com pressa... hehehe

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Concordo com a idéia deste blog (que está meio que sintetizada neste post) agradeço à Deus pela Sua enorme misericórdia. Nada foge ao controle de Deus e até o maior caos pode ser usado como um modo de mudar vidas (falo isso pelo que vem acontecendo na igreja brasileira).

    Deus contempla corações e mesmo aquele mais humilde irmão está no mesmo lugar que eu e você estamos: apenas no "estreito caminho", na curva do errado que nos leva a verdade...como no Matrix, a verdade está do outro lado e nós estamos apenas do lado de cá...

    Que Deus nos ajude nessa caminhada!
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Muito bom Thiago! Conheci agora seu blog e achei muito interessante... Há tempos eu vinha pensando nisso e senti mesmo que Deus falou muito comigo no filme Matrix (ele usou até a mula, porque não usaria um filme, pensei... rsrsrs...)

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela visita Guilherme... Realmente Deus não está preso aos moldes eclesiásticos. Seu Espírito sopra onde bem entender, é o Senhor da Liberdade.

    Abração!

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs