20 de out de 2008

O que o U2 é para mim


(Melhor ler o post ouvindo U2)
Lembro de uma das primeiras vezes que ouvi falar do U2, foi assim: “Cara, eu era do mundo, ouvia esses 'rocks' do U2 e ....blablabla, but Jesus change my life!”(Dizia o ex guitarrista da minha banda quando éramos crianças.) Outros caras diziam que U2 era do capeta!(isso que dá conviver com pessoas de mentes manipuladas, a gente acaba ouvindo tanta merda, e essas coisas é que são desse tal de capeta!rsrs)

Passaram alguns anos e fui me interessando por música de mais conteúdo, pois como músico e fã, a gente sempre busca coisas novas e identificáveis com a nossa bagagem e herança de vida.


Meu cunhado, o Adãozinho, é fã de U2 desde Boy (nessa época ele ainda era um “garoto” e eu nem nascido era) e depois de várias tentativas frustradas de me “contaminar” ele usou um caminho mais curto, emprestando ao meu irmão, o Thiago Mendanha do blog Tomei a Pílula Vermelha um DVD do U2.

Me lembro como se fosse hoje o Thiago chegando em casa com U2-Go Home, colocando para tocar no pc ,do qual, a saída de som ia para um pequeno cubo de guitarra(ficou um sonzão) e aquela introdução com Elevation (uhu...uuhu). Desempregado e com tempo de sobra, o assisti atentamente muito mais de dez vezes naquela semana e ainda pedia ao Thiago para imprimir traduções de cada uma das letras e leva-las à noite para casa, já que não tínhamos internet no apartamento.
Entretanto, o que mais me cativou foi o que eu vi por traz do ótimo som da banda, as letras falando do Amor, da vida, de Deus... com performances nada “apropriadas” e sem exteriótipos.

Quero falar do Amor, da Alegria e da Paz ou de Deus(perdoem redundância) assim como o U2, sem fazer disso (falar do Amor) uma propriedade da religião, mas das pessoas que amam a Deus, que buscam melhorar e reabilitar perante o Amor.
Me identifiquei mais ainda quando descobri que algumas canções e performances do U2 eram inspiradas em obras de meus escritores prediletos, C.S. Lewis e Philip Yancey.

Enfim(viajando na maionese), se Philip Yancey me pedisse para adicionar em seu livro “Encontrando Deus nos Lugares Mais Inesperados” um capítulo sobre um de meus “encontros” não exitaria em falar de como inesperadamente “encontrei Deus e verdades” na obra do U2 e em especial no Go Home.

Valeu por suportar ler...


Daniel Babugem no blog Fadário

4 comentários:

  1. estava meio ausente aqui...mas confesso que até o vídeo da andressa lá eu vi...apesar dos pesares, ela da maneira dela fez o melhor, e como você mesmo disse, os revolucionários preguiços que tem o veneno escorrendo pelas teclas de um pc, também poderiam começar exercendo o ministério de Cristo, que é simplesmente viver como ele, e não como o padrão que a igreja impôs... enfim!!! hehehe

    ahhh e para comunhão, uma heineken também é bem-vinda!!!

    u2 não é de Deus não, esse droga vicia demais!!! hhaha :)

    ResponderExcluir
  2. Faz algum tempo que penso em reeditar um site que eu tinha sobre a banda que fala exatamete sobre o que foi exposto nessa postagem
    se o fizer postarei aqui

    ResponderExcluir
  3. Cara, nao te conheço, mas quero ajudar nessa parada do U2...

    ResponderExcluir
  4. Cara, achei excelente o post! Copiei ele pro meu blog, vc se importa?
    cristaocetico.blogspot.com

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs