30 de out de 2008

Teologia da prosperidade? Eu não! Mas, vai um consórcio aí?

Não resisti! Depois de assistir ao vídeo do pastor metrossexual Marco Feliciano e ler o artigo que saiu no UOL, comentei no site do próprio, onde eles tentam argumentar em defesa própria.

Se quiser ler o artigo do UOL clique aqui. Para ler a defesa no site do Marco Feliciano clique aqui.

Segue o comentário que enviei:

"No artigo, o jornalista acusa o pastor Marco de usar a Teologia da Prosperidade, algo irreal no seu caso."

R: Irreal? Peraí, só nesse texto apologético podemos encontrar resquícios da "Teologia da Prosperidade":

1. "promessas de prosperidade para seu povo, o escolhido."
R: Concordo que Deus recheou Israel de promessas com fins nessa Terra. Mas, a maioria das promessas para o povo da Nova Aliança são: "passareis por aflições, é muito difícil um rico entrar no Reino, sois cordeiros no meio de lobos, serão perseguidos, não ajuntai tesouros na Terra porque serão consumidos, etc, etc. Basta ler as Escrituras com um pouco de coerência e nota-se que as melhores promessas para nós, a Igreja, são espirituais e para o porvir da Glória de Deus! Notavelmente o foco das bençãos não é material, mas, espiritual. Nada de errado em ser próspero financeiramente... errado é dizer que Deus tem por obrigação fazê-lo próspero em troca de sua fidelidade.

2. "melhor da Terra” não fosse destinado aos Seus filhos.
R: Esse é outro traço da Teologia da Prosperidade. Apelam para o "status" de filhos de Deus para requerer tratamento especial, bençãos, milagres e prosperidade.

3. O artigo diz que o pastor Marco “garante que Deus atenderá a todos os pedidos de "fiéis", "perseverantes" ou "valentes"”. E garante, sim, baseado na Bíblia, que quem tem fé pode alcançar qualquer coisa que pedir em nome de Jesus. E é em Seu nome que conclama as pessoas a realizarem seus sonhos, não comprando terrenos no céu, mas utilizando o consórcio, uma prática comum no mercado e submetida a rigoroso controle.
R: Aqui concorda-se com o artigo. Alguma dúvida? E quanto a vender terrenos no céu, fala sério! Essa é medieval, ninguém vai cair mais... (se fosse nova, apostaria minhas baquetas de ainda usariam tal recurso)

4. As contribuições feitas pelos irmãos são voluntárias e têm destino conhecido: a manutenção do próprio programa de TV, que custa cerca de R$ 200 mil mensais.
R: Até hoje não entendo porque manter um programa que descaradamente enriquece aos próprios com venda de produtos que servem de "benção" para o pobre povo comprar com o que não resta de seus salários mínimos. R$200 mil? Dava pra ser muito mais cristão com isso vocês não acham?

5. A Palavra não é vendida, pois recebida de graça, de graça é passada. O pastor Marco Feliciano anuncia em seu próprio programa produtos desenvolvidos por profissionais, que utilizam os melhores recursos para apresentar aos irmãos artigos de qualidade, sejam DVDs de mensagem, CDs, livros ou o curso de teologia. Aliás, caso o jornalista Ricardo Feltrin está convidado a conhecer mais sobre a Palavra, e teremos o maior prazer em tê-lo como aluno no Instituto Teológico Carisma.
R: É muita cara-de-pau ainda dizer que a Palavra não é vendida e logo depois falar que você pode adquirir as melhores e mais ungidas pregações de "profissionais" da fé... Paulo perdeu muita grana deixando os outros ganhando dinheiro às custas de suas cartas. E pra desgraçar tudo, ainda fazem mais um "Merchan" do Instituto Teológico Carisma. Toda oportunidade é oportunidade mesmo, hein!

6. Ex-estudante de teologia, conforme consta na pequena biografia do jornalista, Feltrin deveria dedicar-se mais a tais estudos para que não confunda as pessoas que possam ter acessos a seus escritos, neste caso, carregado de ironia e desrespeito a algo que não conhece.
R: Aqui neste texto fala-se que o "articulista" da UOL não tem conhecimento tácito sobre o que escreveu. Mas, nessa ínfima defesa, quem mostra-se sem conhecimento de causa é quem o escreve. Contradizendo-se em seus argumentos dizendo que não adotam a Teologia da Prosperidade, e decorando o texto com reflexos da mesma.

Um grande abraço e que o Espírito possa conseguir falar mais alto em vossos corações. (quem sabe se o pr. Marco Feliciano gritar menos?)

6 comentários:

  1. hehe, vc vai arder no mármore agridoce do sheol, mermão. espera pra ver a linha de produtos pra beleza, com direito a chapinhas, alisantes e produtos pra depilação de sobrancelhas.

    ResponderExcluir
  2. Sinto muito, mas a teologia do nosso amado Pr é muito fraquinha. É mais fácil desvalorizar a interpretação bíblica do repórter do que reconhecer que estamos perdendo o foco. A interpretação bíblica não é privilégio exclusivo de líderes e seminários. Um dos expoentes da nossa teologia reformada é o sacerdócio universal.
    A teologia da prosperidade não condiz com a missão da igreja mas é sinal de bênção de Deus para Israel, uma dispensação diferente.
    Parece que além de uma teologia bíblica está faltando ao Pr Marco Feliciano uma boa dose de humildade.
    Obs: Já viram que em alguns sites defensores do Pr começaram a brotar rapidamente versículos a respeito da maledicência. Que vitimismo piegas!

    ResponderExcluir
  3. cara... que palhaçada desse pr. Feliz, sabe, não dá nem "tesão" comentar e dar atenção pra esses caras

    ResponderExcluir
  4. O mais interessante é ele só colocar os comentários em favor de si. Adoro !! hauahauahauahauahau
    Pára o ônibus que eu quero descer !! Não aguento mais ver essas coisas todos os dias.

    ResponderExcluir
  5. Essa resposta do Pr. Feliciano é o cúmulo da incoerência.
    Perdido em meio a argumentos falhos e referências bíblicas desconexas, tudo que o texto fez foi divulgar mais uma vez o nome do patrocinador.

    E um fato interessante: em meio a toda polêmica que esse fato causou e a inúmeros blogs que publicaram a respeito, o artigo de "retratação" do Feliciano só tem 3 comentários. E todos defendendo o ponto de vista do pastor.
    Será que tão poucas pessoas deixaram sua opinião? Ou só publicaram o que lhes interessava? Só vou ter certeza quando cumprirem a promessa que o formulário de comentário faz: em breve entraremos em contato.

    Eles devem estar rindo de nossas caras...

    ResponderExcluir
  6. Cara sem palavras, ótimo blog, otimas denuncias, é isso que falta para abrir os olhos das pessoas. Abraço. Luiz Achilles

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs