22 de nov de 2008

Porque (não) vou à igreja



Há 44 dias de completar 7 anos na igreja evangélica, acredito que está na hora de pensar e repensar muita coisa que ficou para trás e outras tantas a que aderi nesses últimos anos (principalmente esse ano).

Iniciarei uma série de textos, pelos quais quero deixar bem claro os motivos que me fazem permanecer na igreja evangélica (para aqueles que dela se foram) e os não-motivos d'eu continuar nela (para aqueles que nela estão).

Muita coisa tem passado pela minha cabeça; conheci cristãos de todos os tipos - meu Deus, como existem cristãos diferentes.

Conheci gente e filosofia de gente que saiu da igreja, mas não perdeu a fé e a certeza da salvação em Cristo; conheci gente e filosofia de gente que não aguenta mais o movimento gospel brasileiro (exatamente isso: "gospel" e "brasileiro") e a igreja evangélica vendida, mas que permanece na igreja; conheci gente e filosifia de gente que não acredita ser a Bíblia a palavra de Deus e sim um livro que contém a palavra de Deus; conheci católicos fiéis, pentecostais equilibrados, tradicionais desequilibrados e néo-pentecostais desviados (permitam-me a redundância); conheci gente e filosofia de gente que ouve U2, Cassiane, Cazuza e Heavy Metal; conheci gente e filosofia de gente que lê Max Lucado, Paulo Coelho, Brennan Manning e Dostoiévski; conheci gente e filosofia de gente que ouve Cáio Fábio, Silas Mafalaia, Ricardo Gondim e Marco Feliciano; conheci gente que acredita em livre-arbítrio, na predestinação de Calvino e na predestinação de Wesley; conheci gente e filosofia de gente que vive e acredita no evangelho, mas que toma vinho e dança samba; conheci gente e filosofia de gente que peca, mas sabe ser santo e gente que se pensa santo sem pecado.

Enfim, conheci tanta gente que mudei muita coisa desde 2001, já não sou quem fui e tenho certeza que não serei quem sou; só sei que vou crescendo de glória em glória até chegar à medida do Filho de Deus.

Will no Celebrai!


P.S.: Aqui o Will fala muito bem sobre a realidade espiritual de muitas pessoas. Existem muitos ainda que não perceberam esse fato. Ainda escuto muito que não sou "cristão", não sou "crente" ou até que estou em pecado e afastado de Deus, simplesmente porque "não vou à igreja". Especificamente porque não frequento um templo, não entrego dízimo e não tenho "cobertura espiritual"... É claro que são fatores que desequilibram qualquer bom religioso, mas, não são quesitos que me tiram do Reino de Deus. No final das contas, faço das palavras finais do Will as minhas... "só sei que vou crescendo de glória em glória até chegar à medida do Filho de Deus".

2 comentários:

  1. uma excellente coisaa igreja faz , depois dela
    muita gente aprende apensar e falar oque pensa
    .
    eu nao sei dizer oque quer dizer oque vou dizer :

    foi oque eu entendi do amigo !!
    abraços

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs