9 de dez de 2008

A revolução já começou...

Somos uma comunhão de grupos cristãos espalhados pelo Brasil. Grupos familiares que se reúnem nas casas. Não temos uma sede, templo ou denominação. Tampouco somos igreja em células.

Nossa história remonta ao início da Renovação Carismática (Protestante e Católica) no Brasil. O casal Offini e Elza Franco (ele presbiteriano, ela católica - cada qual com participação ativa e efetiva em sua igreja) recebeu, em 1972, uma promessa de Deus de que seriam "pais de muitos filhos". Enviados pelo padre Eduardo Dougherty (conhecido de Elza Franco), jovens católicos, ávidos e sedentos por Deus começaram a bater à porta dos Francos para aprofundamento bíblico, ainda no ano de 1972. Transformados pelo evangelho, tanto os jovens quanto Elza Franco não encontraram espaço dentro da igreja católica. O convencional e o que os livraria de inúmeros problemas seria que fossem encaminhados à igreja presbiteriana (da qual Offini Franco era presbítero). No entanto, o chamado de Deus era para algo diferente. E houve muita luta para entenderem isso e se manterem fiéis à vocação. Aquele primeiro núcleo de jovens adolescentes, que se reunia ao redor da mesa de jantar da sala dos Francos, deu início a um movimento que perdura até hoje e, com a graça de Deus, continua crescendo e se espalhando.
Reunimo-nos localmente em famílias (sempre em número adequado às instalações de uma residência). As reuniões prescindem de algumas estruturas encontradas nos templos. Tentamos, tanto quanto possível, não trazer o templo para dentro das casas. Acreditamos que a igreja doméstica tem, conforme o Novo Testamento, a sua liturgia característica. Esse modelo tem favorecido a formação de muitas pessoas em condições de hospedar igrejas em suas casas. Temos buscado de Deus cada vez mais o significado de uma liderança plural.

Há um grupo de pessoas, que chamamos "dirigentes de ministérios", que exercem uma co-liderança com outras três, remanescentes da origem nos anos 70. Nas localidades (divididas por cidades ou bairros, no caso de cidades grandes) os trabalhos são acompanhados por "dirigentes locais". Os dirigentes locais (de uma cidade ou dos bairros de uma cidade) contam com os “assistentes” para coordenarem os grupos. Nesse trabalho, os chefes das famílias (homens dignos) também passam a exercer papel destacado, à medida que entendem o chamado de Deus. Desenvolvemos ainda atividades segmentadas por faixas de interesses (nesse caso, para aprofundamento e formação): crianças, pré-adolescentes, adolescentes, jovens, adultos, casais e melhor idade. Ultimamente temos trabalhado intensamente a família para o propósito de Deus. Acreditamos que a família terá papel fundamental na restauração de todas as coisas (At 3:21; Ml 4:5,6). Alguns conceitos estão sendo muito trabalhados em nosso meio: por exemplo, a diferença entre "ser igreja" e "ir à igreja"; "atrair as pessoas para a igreja" versus "levar a igreja às pessoas" (IDE); "achar casas dignas" e, conseqüentemente, pessoas dignas que hospedem igrejas e sejam pastores para ovelhas órfãs e perdidas, conforme ministério de Paulo (At 13,14; Mt 10); "o homem integral" (viver, na prática, a integralização da vida, em todos os ambientes onde ela acontece). Realizamos, também, anualmente, vários encontros e seminários em um sítio de nossa propriedade, em Sorocaba - SP.

Estamos em busca da igreja Gloriosa que Efésios nos apresenta. Não se trata de um novo movimento ou "mover", mas da igreja "fraca", destituída de justiça própria, de arrogância, de controle humano, totalmente dependente do Cordeiro, dirigida pelo Espírito Santo, uma igreja sob o "espírito e poder de Elias" para converter o coração dos pais aos filhos e dos filhos aos pais. O que não quer dizer que não temos dificuldades. Há muitas relutâncias para entender a vocação da parte de muitos. Sem sermos dogmaticamente inflexíveis, temos procurado andar naquilo que Deus tem nos ensinado ao longo dessas décadas. Procuramos praticar e incentivar largamente o "Ministério ao Senhor" em nosso meio: reuniões para "ouvirmos de Deus", para buscarmos os interesses de Deus e não os nossos e imediatos. Um livro que temos trabalhado exaustivamente em nosso meio nestes dias é "Casas que transformam o mundo", de Wolfgang Simson. Compartilhamos de muitas coisas deste livro, sem nenhuma pretensão de transformá-lo num talmude cristão da igreja nos lares. Temos procurado ardentemente chegar ao máximo de organismo e ao mínimo de organização. Estamos indo nesta direção. Foi um grande "achado" entender que em cada lar se reúne uma igreja que funciona em tempo integral. Pais, mães e filhos (principalmente estes) atuam, uns nas vidas dos outros, como medida de proteção contra o orgulho e a hipocrisia espirituais. Neste ambiente, não dá para colocar máscaras, sob pena de tê-las arrancadas por pessoas que tão bem nos conhecem. As muitas reuniõezinhas semanais (algumas delas ocorrendo em meio às refeições) são celebradas em reuniões semanais maiores (de, no máximo, 4 ou 5 famílias), com o propósito de adoração, aprofundamento na palavra e comunhão.

fonte: Grupo News

P.S.: É muito bom saber que o sentimento de simplicidade e autenticidade que brota em cristãos inconformados com a atual realidade da "i'greja, não é propriedade dos evangélicos. E é muito bom perceber que são muitos que veem despertando para uma vivência cristã que agrega valores neotestamentários relevantes e consideráveis a nós ainda hoje. Fico feliz em ver evangélicos, protestantes e católicos tomando a pílula vermelha... =)

2 comentários:

  1. Caras, eu me fio muito na palavra do Bono: "Eu percebi isto - há uma batalha, eu vejo isso, entre o bem e o mal, e eu acho que você tem que achar seu espaço nela, pode ser no chão de uma fábrica ou escrevendo uma música. Quando você está lá - quando você está onde deveria estar e sabe disso no seu coração - é quando você fica realmente envolvido.
    Eu estou achando meu lugar e construindo também parte dele , como disse outro poeta Caminante, no hay camino. Se hace camino al andar (Antonio Machado)
    cada dia mais descobriremos que O Caminho está sendo feito no camiar de muitos irmãos...em comum? a liberdade...onde o Espirito está, e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará...
    jorge moreno (Igreja do Futuro/ Comunidade 2)

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz vos sejam multiplicadas, amados irmãos.

    Desde que o homem novamente se encontrou como igreja (reunião em templos) através de Lutero, através da Reforma, as igrejas/denominações cresceram, cresceram, e incharam, e, hoje vemos a necessidade que esta forma de reunião seja novamente reformada!

    Faz-nos lembrar de Richard C. Halverson (1916-1995), pastor americano: "No início, a igreja era um grupo de homens centrados no Cristo vivo. Então, a igreja chegou à Grécia e tornou-se uma filosofia. Depois, chegou à Roma e tornou-se uma instituição. Em seguida, à Europa e tornou-se uma cultura. E, finalmente, chegou à América e tornou-se um negócio."

    E, através dos irmãos do “Grupo News”, podemos sentir realmente que esta nova estrutura de reunião se vê formando, entretanto, nos chama a atenção como estas estruturas estão se montando ou vem sendo montada, como assim dizer, estão criando novas nomenclaturas: "dirigentes de ministérios", "dirigentes locais", e em principal, “um livro que temos trabalhado exaustivamente em nosso meio nestes dias é ‘Casas que transformam o mundo’, de Wolfgang Simson”...

    Em nossa humilde visão, é perigoso manter pessoas como títulos como “dirigentes”, pois se volta ao vômito, ou melhor, aos poucos vai crescendo novamente esta semente maligna implantada nos corações de homens corruptos, o que geralmente encontramos como estruturas e organizações, por vezes, denominadas igrejas evangélicas...

    E, outro agravante é, utilizar um livro, mesmo que não em grande escala, mas a Bíblia é por completo, o único manual que possuímos pela graça de Deus, ou seja, não há necessidade alguma de se introduzir qualquer literatura que seja, para justificar nossa fé em Cristo Jesus, e qual seja nossa maneira de cultuar ao nosso Deus, seja nos lares, na rua, mas, fundamental é que a reunião seja sincera e em comunhão, em adoração, pois, onde estiver dois ou três reunidos no nome Santo do Senhor Jesus, nosso Senhor se faz presente.

    Viva a Revolução!!

    SOLI DEO GLORIA

    A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém.

    Fraternalmente.
    James.
    www.jesusmaioramor.blogspot.com

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs