7 de jan de 2009

Rótulos



Gostaria de participar desta blogagem coletiva, mas, tô sem time pra escrever, de maneira que vou reprisar estes posts bem antigos que tratam do assunto:

CRISTO É INSUFICIENTE

Agora mesmo no meu trabalho a gerente me perguntou de qual igreja eu era. A supervisora já ficou antenada na minha resposta porque já conversamos bastante sobre isso. Parei, pensei qual a melhor forma de dizer que... bem... não sou de nenhuma igreja, sou de Cristo!

Disse pra ela não não frequentava nenhuma igreja, por assim dizer. A reação? Se espantou comigo e disse que não imaginava isso porque eu parecia tão amoroso, gentil e conhecedor da Bíblia. A supervisora aproveitou o gancho para continuar com suas conclusões pertinentes ao assunto. E me disse que eu seria de grande valia dentro de uma igreja e que estou desperdiçado.

Tentei explicar às duas (se ajuda mencionar, católicas) que amo a Igreja, no entanto, não me identifico com templos, denominações (leia-se nomes fantasia, marcas, fachadas, placas, instituições autoexistentes, sectarismos, segregarismos, alienalismos, partidarismos, exclusivismos e etc), tradições vigentes e congeladas em si mesmas e, portanto, não exalto todo esse Sistema Humano como Igreja de Cristo, muito menos como Reino de Deus. O Reino de Deus trancende nossas limitações de terminologia e tentativas de domesticar a Palavra de Deus e o modo que o próprio Deus interage com os homens. Também expliquei que o único nome no Céu e na Terra pelo qual importa que eu seja salvo é o nome de Jesus. E que esse nome já é unicamente suficiente para eu referenciar minha vida, minha fé, meu trabalho, minha família, meu falar, meu pensar, meu agir, meu entendimento, minha alma e minha persistência. Enfim, não deu em nada. Ficaram com aquela expressão desgostosa estranhando eu não me ligar a nenhuma denominação.

Depois sentadinho de frente ao meu PC fiquei matutando: O que elas queriam dizer é que o nome de Cristo não é suficiente? Que preciso incrementar outros nomes além do Nome sobre todo nome?

O nome de Jesus não basta? Leia +

---

PLACAS

Uau! Quanta diferença? Quanta picuinha e pormenores desprovidos de relevância? Que reino é este que não celebra a diversidade? Que reino é este que não dá valor ao preto, ao branco, ao azul, ao vermelho, ao rosa, ao verde? Que tipo de reino é este que faz acepção de mulheres, homens, adolescentes, jovens, crianças, velhos, gays, lésbicas, prostitutas, pobres, ricos? Que reino é este que impõe que os cabelos longos do homem, o cabelo cortado da mulher, os brincos, as tatuagens, as calças, o batom, as correntes, as pulseiras traduzam o interior e a fé de alguém? Que reino é este que segrega a variedade e a criatividade?

Tantas desigualdades e distinções incompreendidas e mal interpretadas levam a cabo a multiplicação e a sectarização das pessoas. Ao invés de, gerar unidade pela diversidade e pela multiforme sabedoria de Deus, a igreja particionou a fé e a comunhão do Corpo. Não entenderam o "suportai-vos uns aos outros em amor". Criaram repartições diferentes e de vários sabores. Se não vou com a cara dos "crentes" e não gosto de suas gritarias e fanatismo, posso frequentar uma boa missa. Se não vou com a cara dos católicos e sua "idolatria"(interessante que os evangélicos batem o pé contra a idolatria católica, mas, não enchergam o próprio rabo atolado de idolatria, amor ao dinheiro, ao "apóstolo num sei das quantas", ao "pastor", à denominação, avareza, etc) e me simpatizo com a farra evangélica, mas, sou mais conservador posso instalar-me numa comunidade mais sã, mais cautelosa, legalista, moral, tradicional. É o tipo de igreja que condiz com meu perfil.

Mas, se sou mais aberto, mais liberal, mais desinibido, mais "extravagante", posso acomodar-me numa igreja avivada, alegre, que bate palmas, que pula, que dança, que grita. Seria o tipo de igreja que me satisfaria. Há diversas modalidades de cultos, shows, rituais, liturgias, programações, costumes tantos quantos há de denominações. Nesse embalo, logo, logo, poderemos dizer que igreja é igual "nariz", cada um tem um. É questão de gosto, de conforto e de comodidade a nossa escolha pela denominação tal. Leia +

---


Você falou em congregar com "desprendimento denominacional" e eu acrescentaria que não existe uma desprendimento denominacional na prática se não houver uma separação do sistema denominacional para se estar reunido SOMENTE ao nome do Senhor Jesus Cristo, o Nome tão digno ao Pai que é, infelizmente, muitas vezes, considerado por nós de somenos importância.

Quantas vezes estamos prontos a alterar nosso rumo um pouquinho a fim de não sofrermos por causa deste Nome tão maravilhoso. E então caímos, como a grande maioria de nossos irmãos espalhados pelas divisões, na tentação de nos identificarmos por mais algum nome, esquecendo do valor que Seu bendito Nome tem para Deus, esquecendo‑nos que "Jesus Cristo" é, segundo o propósito de Deus, Aquele "do qual toda a família nos céus e na terra toma o Nome" (Ef 3.15). Mas por que tanta importância deve ser dada ao Seu nome? Porque Deus faz assim e porque disto depende o testemunho da unidade da Igreja sobre a terra, testemunho este apresentado aos homens (João 17.23) e aos anjos (Ef 10.3).

Infelizmente vemos o Nome de Cristo sendo considerado algo secundário e os cristãos passam a dar mais valor à união dos crentes do que à unidade do um só corpo, comprometendo assim o testemunho desta unidade e passando por cima da verdade. Existe uma diferença entre união, no sentido em que estou mostrando aqui, e unidade. Unidade é aquilo que já temos. Deus fez a igreja UM SÓ CORPO (Ef 4.4), e isto independente de nós. Foi Ele quem a fez assim. Cabe agora a nós darmos testemunho desta unidade que é tão preciosa aos olhos de Deus. Ninguém pode destruir a UNIDADE do Corpo de Cristo, mas os homens conseguiram arruinar o TESTEMUNHO desta unidade, ou seja, aquilo que é visível aos homens e aos anjos e que coube aos homens preservar ("Rogo‑vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo sentido e em um mesmo parecer... Está Cristo dividido?" 1 Co 1.10,13). Leia +

---

Estes textos são de logo quando criei o blog... vale a pena dar uma lida =)

Um comentário:

  1. OI, eu de novo.
    Escrevi um comentário no meu blog. As idéias estão costuradas, mas acho que expressam o que gostaria de dizer...

    http://tluk.wordpress.com/2009/01/07/sobre-a-pilula-vermelha/

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs