9 de mar de 2009

Hipocrisia evangélica: meu alvo preferido


Recebi e-mail de um leitor do blog dizendo que apesar de concordar com minhas opiniões em relação ao povo evangélico, não apóia minha posição de publicar os textos que publico, pois eles [os textos] são um pouco preconceituosos.

As palavras foram as seguintes:

"Em relação à opinião, na maioria deles eu concordo (Mas não me sinto a vontade de incentivar esse tipo de mensagem por vários motivos. Em relação ao conteúdo, é por causa de brigas entre religiões que famílias, amigos, cidades e países fazem guerras. Além de normalmente conter um "cheirinho" de preconceito em relação a escolha espiritual de cada um. Sinceramente, sou mais adepto de textos que falam da hipocrisia humana e instantaneamente nos fazem pensar em todos os aspectos de nossa vida, inclusive o religioso."

Eu respondi o e-mail, mas depois ainda fiquei "ruminando" sobre o assunto. (Adoro essa palavra, "ruminando", como sinônimo de pensando ou analisando!)

E resolvi compartilhar com vocês algumas de minhas elucubrações, até para esclarecer melhor o porquê de eu pegar tanto no pé das ovelhinhas de Jesus.

Sobre brigas entre religiões

Eu não tento converter ninguém ao ateísmo.

Se você for meu amigo e compartilharmos uma garrafa de vinho e um papo animado, provavelmente você vai me ouvir falar animadamente sobre as coisas que me empolgam. O ateísmo é uma coisa que me empolga. (Cada louco com a sua loucura.)

Também me empolgo com Poderoso Chefão, as aventuras de Marty Mc Fly, roupas e sapatos, bijoux lindas a preço de banana, blogosfera, Beatles, meus sobrinhos, luas cheias… E umas tantas outras coisas. Mas sim, como qualquer ser humano normal, eu gosto de conversar sobre os assuntos de meu interesse. E como qualquer blogueiro/escritor normal, gosto de "falar" com meus leitores sobre coisas que me interessam e que possam também interessar a eles. Afinal, escolhemos os blogs que lemos e se você está aqui não deve ser para olhar meus lindos olhos verdes… Se quiser ver meus lindos olhos verdes, é melhor ir AQUI !

Então, isso é o que eu faço: eu escrevo. Escrevo a favor do que gosto e acho certo e contra o que não gosto e acho errado. Eu não entro na sua casa e jogo sua bíblia fora, não faço passeatas em frente a colégios cristãos para que não haja mais orações nas escolas, nem respondo perguntas de meus sobrinhos sobre deus e religião, muito menos brigo com meu irmão porque ele é evangélico ou me revolto quando na ceia de Natal meu pai conduz uma oração!

Eu escrevo, apenas. Não são os meus textos que vão incitar brigas religiosas entre famílias. No máximo, vão incitar brigas verbais entre eu e leitores que não concordem comigo! Além do mais, se as únicas armas de rixas religiosas fossem as palavras escritas, o mundo estaria um pouco mais perto da perfeição.

Sobre meu suposto preconceito contra as escolhas espirituais de cada um

Preconceito é quando formamos um conceito sobre determinada pessoa sem ao menos conhecê-la ou conhecer suas idéias. Eu não tenho pré-conceito contra os evangélicos. Eu tenho um pós-conceito. Especialmente quando se trata de determinados tipos de evagélicos: quando vejo um crente, líder de célula, que gastaria metade do seu salário anual para ir a um congresso do Apóstolo Renê Terra Nova, eu sei, mais ou menos, como funciona a escala de prioridades de tal indivíduo.

Eu sei a motivação que faz com que os cristãos evangélicos lhe convidem para participarem do café colonial que a igreja deles está promovendo. Eu vi maridos que não tinham um tostão para comprar uma lembrancinha de aniversário para a esposa, mas arranjavam dinheiro para ir a todos os congressos que a igreja promovesse. Eu vi pastoras dizendo que quando o homem trai, a culpa é toda da mulher.

Eu convivi com jovens que reprimem sua sexualidade e acabam casando apressadamente, sem a devida condição financeira. Eu vi mulheres que usam o culto de domingo para exibir o novo sapato e não param para pensar que muitas das suas irmãzinhas sustentam a família com pouco mais do valor pago por aquele calçado.

Eu vi pessoas orando com imposição de mãos e dando uma empurradinha no incauto que recebia a oração (afinal, quem consegue derrubar alguém enquanto ora pela pessoa tem o maior status). Eu conversei com gente super angustiada porque não conseguia falar em línguas. Eu estava presente nas muitas reuniões da liderança da igreja (os santos, os 12 do pastor, os escolhidos por Deus para guiar aquele rebanho) em que a fofoca bateria qualquer salão de beleza.

Eu vi e vivi muita coisa nos 4 anos em que fui membro de uma igreja neo-pentecostal. Portanto, com relação aos evangélicos, eu posso até generalizar, mas eu não tenho preconceito. Apenas compartilho minhas opiniões baseada naquilo que presenciei e vivi. Na verdade, assim como os evangélicos dizem que amam o pecador, mas não amam o pecado, eu poderia dizer que eu amo os evangélicos, só não amo suas crenças. Mas acredito na recuperação deles. Acredito que eles possam ser reabilitados a viver em sociedade. Eu sou a prova viva!

Sobre textos que falem da hipocrisia humana de modo geral

Foco. Foco. Foco. Quem gosta de escrever e procura ler dicas para escritores ou blogueiros, sabe que isso é lugar-comum: tenha um foco.

Se posso focar, por que vou generalizar?

Então, minha escolha em termos de hipocrisia é falar sobre a hipocrisia dos evangélicos! É a hipocrisia que mais tenho conhecimento de causa. Enxergo outras hipocrisias, é claro, a vida é cheia de situações em que a hipocrisia reina, o mundo é repleto de hipócritas, mas a minha hipocrisia preferida é a dos "irmãozinhos" da Igreja.

Juliana Dacoregio, no blog Heresia loira.
texto publicado em julho do ano passado. [via Pavablog#]


Concordo em gênero, número e grau com o que a loira dos olhos verdes escreveu... aliás, isso me lembra quando me perguntam porque "meto o pau" nas igrejas. Então, fica a minha resposta emprestada da idéia do texto: falo do que vi, vivi e senti... e do que depois disso continuo vendo!

6 comentários:

  1. Tiago,
    só pra testificar em seu coração, "minha hipocrisia" preferida também é a evangélica, pois no blog falo também do que vi e vivi, assim como você.
    Só tenho pensado todos os dias no que fazer pra alcançar pessoas em um evangelho mais puro e sincero visto que esse "sistema religioso pós moderno" tem destruído toda uma geração dentro de nosso país. Vamos fazer um contato mais pessoal e tentar definir algumas coisas. Se Deus permitir passaremos de escritores para influenciadores.
    Abraço fraterno,
    Rodolfo.
    Editor do Blog Cristianismo Inteligente.

    ResponderExcluir
  2. [aqueles totalmente por fora]

    mas que olhos, hein? rs

    ResponderExcluir
  3. Pois é Tiago, tenho pensado nisso nesses dias, pq querendo ou não o dia a dia nos depara com pessoas e situações. Então fico muito injuriada quando vejo uma pessoa de atitudes duvidosas e de formas de amar e tratar os outros pretensiosa e preconceituosa e às vêzes até sádica falando de "Jesus como sua única verdadeira forma de chegar ao Pai" e apontando a bíblia como nosso manual de instruções...mas...e se tudo depende da interpretação de cada um? Então cada qual traduz e ou interpreta da forma q seja conveniente para si. E pra não virar encrenca acabo ficando quieta pq acho pior lidar e discutir com um ignorante teimoso do que com todos os filósofos do mundo. Eles se apegam às suas formas defeituosas de aprender o cristianismo como um cachorro a seu osso.
    Eu sinceramente não me acho capaz de interferir ou mudar o pensamento, isto é abrir a cabeça de um evangélico hipócrita, mas preciso ter muita tolerância quando estou com um destes.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Muito bem colocado todas as suas críticas sobre os evengélicos, convivo também com isso, posso até cometer alguns pecados q vc descreveu, sou ser humano e pecador como qualquer um, mas gostaria de saber se vc faz parte de alguma comunidade cristã?
    Se não, lhe faço uma pergunta que me fizeram quando estava pretes a chutar o balde.
    Qual Jesus que vc conhece? Qual Jesus de te apresentaram?
    Respostas:
    1- Jesus da Igreja.
    2- Jesus que eu acho.
    3- Jesus da Bíblia.
    Depois de muito tempo de igreja passei a me interessar sobre a 3ª opção, e conheci o verdadeiro Jesus, que pode dar a VIDA ETERNA.
    Contato: clauguto@ig.com.br

    ResponderExcluir
  5. É a primeira vez que acesso o seu blog. Parabéns por dizer a verdade. Qualidade, aliás, rara hoje em dia, principalmente no tal do meio evangélico. Nada contra os cristãos evangélicos. Também acho o evangelho lindíssimo. Mas, a prática hipócrita da religião é de dar náusea em porco. Só para corroborar a sua visão acerca da hipocrisia, meu ex-marido (evangélico)orava de joelhoe e mãos erguidas diante da bíblia clamando aos céus pela minha vida, pela minha saúde, agradecendo a esposa maravilhosa que Deus havia lhe dado e à noite ia para o motel trepar feito um íncubo com a amante de 22 anos. Minha vizinha de frente, membro fervorosa de uma denominação pentecostal, exortava a rua inteira a comparecer aos cultos da sua igreja, hoje requebra até embaixo ao som dos funks proibidões. Isso sem falar naquele cretino, escroto,filho de uma p... que se apresenta na televisão com um chapéu de cowbói enganando gente humilde e de boa fé. Ao invés das emissoras ocuparem seus horários com esses hipócritas não transmitem programas voltados para a orientação médica, jurídica, para a cultura geral deste povo tão sofrido e privado de esclarecimentos essenciais? Eu tenho 42 anos. A mim ninguém engana. Sou escoladíssima. E é por isso que a cada dia que passa mais eu amo Jesus Cristo e mais desconfio do homem, principalmente aquele que se mete a falar por Ele. Abraços carinhosos e desculpe uns xingamentozinhos. Eu não citei nomes, tá?

    ResponderExcluir
  6. Te dou os parabens , pelas palavras! Totalmente certo, facil é falar baterem pé na igreja aleluia senhor , em nome do senhor, demonio e nao sei mais o que... quero ver é viver o que dizem , bando de hipocritas !

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs