23 de mar de 2009

A igreja em descrédito



Diariamente perseveravam unânimes no Templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e
contando com a simpatia de todo o povo. (Atos 2.46-47)

Ora, se de fato estivéssemos em meio a um avivamento, como nos costumam dizer os mais otimistas, algo parecido com o registro de Atos seria uma constatação factível. Isto é, contaríamos com a simpatia de todo o povo. Mas infelizmente, não é o que mostra o gráfico estatístico acima. Ao contrário do que acontecia na primeira comunidade cristã, hoje somos objetos da repugnância social. Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado (Romanos 2.24).

A pesquisa de opinião, feita com 1.200 entrevistados, mostra o Judiciário está em 9º lugar entre 17 instituições no índice de confiança. Em relação à confiança em profissionais, os juízes ficam em quinto lugar. A pesquisa revela que em primeiro estão as Forças Armadas, seguidos das escolas, Policia Federal, Ministério Público, o presidente da República, a Igreja Católica e, em penúltimo
lugar a Justiça e, em último, as Igrejas Evangélicas.

Fonte do gráfico: Caminhando na graça, de graça [via Soli Deo Gloria]

P.S.: Engraçado que as igrejas não parecem perceber que a imagem que passam não é das melhores. Se eu for contar nos dedos os prognósticos dos pretensiosos "grandes" eventos de "adoração", "grandes" eventos "proféticos" onde as chamadas geralmente são: "esta cidade não será mais a mesma, este país não será mais o mesmo, este lugar é do Senhor Jesus, blá, blá, blá...", e comparar com a realidade de onde passaram, algo está muuuito errado porque nada muda... Um exemplo? Andando pela cidade certa vez me deparo com um outdoor anunciando um show gospel com a participação de um "ministério de louvor" famozinho da vez. A chamada do anúncio: "Anápolis vai mudar!" Bom, já faz quase dois anos e... humm... bom... nada mudou! Propaganda enganosa?

3 comentários:

  1. Deixando a má posição da igreja evangélica um pouco de lado, é interessante notar que em um país que passou por uma ditadura militar os três órgãos com maior grau de confiança são três entidades que agiram direta e ativamente na repressão, e duas delas chegaram, em alguns casos, a agir violentamente.

    Não sei se é essa pesquisa que não deve ser levada a sério ou se é o povo que confia em quem tem um plano melhor de propaganda.

    ResponderExcluir
  2. Teo, o povo é ingênuo... dias desses assistindo TV com meu sogro, ele me solta que tem saudades da Censura...

    ...mal o deixei terminar a frase e já o exortei dizendo que ele não sabia o que estava dizendo! rs

    A memória do povo é efêmera e imediatista... galga melhores posições no índice de popularidade e confiança quem tem uma melhor publicidade... quem tem habilidade e sabe usar a mídia a seu favor.

    A alma do negócio é a propaganda de fato...

    ResponderExcluir
  3. Verdade.. Eu estava lendo esses dias um texto de Teologia da faculdade que diz exatamente isso. Com a secularização, a igreja tá perdendo muito o seu 'poder' que tinha antes. Porque depois que foi criado o iluminismo, o homem procurou a razão. E hoje com tecnologia, ciência tão avançadas, foi criado um mundo onde Deus não é mais necessário para dar a palavra final, pois não é cientificamente comprovado.

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs