10 de mar de 2009

Nas tetas da Palavra


Paulo disse aos Coríntios que não tinha podido dar a eles alimento sólido, mas apenas o leite básico do Evangelho.

E disse isto porque o estavam acusando de superficialidade em razão de que outros pregadores chegaram por lá anunciando um monte de bobagens e invenções, tipo “novos moveres” — e, assim, gerando nos crentes tolos e incautos, a impressão de que estariam perdendo alguma coisa importante da fé apenas dando ouvidos ao que Paulo lhes dizia.

Já Pedro, escrevendo aos judeus da dispersão, e que haviam crido em Jesus, diz que recomendava a eles que bebessem avidamente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual.

Leite é a imagem, mas a mesma imagem diz coisas diferentes conforme o contexto.

Paulo estava tomado de zanga triste quando disse o que disse. Dedicara-se ao Evangelho em sua simplicidade e pureza, e, agora, chegam uns aproveitadores, uns camelôs de evangelhos piratas, uns místicos desvairados, uns gananciosos e narcisistas, e, de súbito, tomam o coração de muitos, passando eles depois disso, em razão de sua imensa ignorância e estupidez, a julgarem Paulo como um superficial por não inventar mentiras e nem tentar manipular mediante fantasias ou magias cristãs.

Assim, Paulo diz:

Se vocês pensam que lhes disse o que sei e vi, estão enganados. Nada disse além do que vocês poderiam agüentar, pois, vocês são imaturos; e a prova disso é que não têm discernimento de nada mais profundo; razão pela qual vocês estão enredados nos desvios em que agora estão. Não pensem que porque lhes disse apenas o que era essencial à fé, que isso seja por eu não fazer viagens verdadeiras na fé, muito para além do que deve ser narrado, pois, são aquelas coisas que a mão direita não deve saber como ato da esquerda; ou, ainda, porque seja aquele tipo de coisa que somente se pode conversar com gente verdadeiramente madura.

Este era o sentido de leite para Paulo em tal contexto, em contraposição ao que fosse "alimento sólido".

Pedro, entretanto, está recomendando a um grupo sincero de cristãos judeus e gentios, que não abrissem mão do que era essencial jamais. E que, além disso, sugassem do peito da esperança do Evangelho todo o alimento que lhes era necessário como vida e anticorpo contra as desesperanças ou as paixões deste mundo.

Assim, toda gente precisa de leite!

E mais: se for do tipo Leite Integral de Pedro, então, tem-se que beber dele até à velhice; pois, trata-se da pratica simples do Evangelho, conforme se vê na 1ª Epistola de Pedro.

Do mesmo modo, temos os imaturos que pensam que já não precisam de leite. Esses são os que pensam que sabem; e que, ao ouvirem o Evangelho, por já terem ouvido a “informação”, julgam que seja uma repetição; sem saberem que quando se trata de Evangelho, tem-se que repeti-lo sempre, até que ele entre na vida, e deixe de ser apenas uma informação guardada na mente.

Por isto Paulo diz: “Convém-vos que eu vos diga as mesmas coisas!

Aqui, entretanto, desejo fazer um apelo aos “de Corinto” que me lêem, bem como aos cristãos do tipo “Da Dispersão” que me lêem também:
Todos têm que voltar a ler a Palavra todos os dias. Todos têm que meditar no Novo Testamento todos os dias. Todos têm que orar não apenas enquanto se ora orando, mas, também, separando tempo simples e dedicado a isto.

Sem a avidez de uma criança esfaimada por leite, nenhum de nós sobreviverá.
Somente bebendo nas tetas da Palavra todos os dias é que teremos anticorpos para o enfrentamento e o risco de contagio no mundo que nos cerca e do qual fazemos parte.

Por outro lado, aos que não sabem de nada, mas pensam que sabem, e que adoram chamar engano de unção, a recomendação é simples: atenham-se ao que seja essencial; posto que qualquer outra coisa, seja ela dita em nome de Jesus até por Paulo, mas que não siga o espírito do Evangelho, o próprio Paulo diz, ainda acrescentando “um anjo de Luz” à lista dos mensageiros, que deve chamada de diabo, e considerada Anátema.

Desse modo é leite para viver e é leite para poder crescer e comer Coalhada: leite sólido.

É leite ou pode ser Coalhada, mas não deve ser mocotó de mentira bem temperado no inferno.

Caio Fábio

4 comentários:

  1. Eu tava no caminho recentemente quando o Caio falou sobre esse texto aos coríntios. Muito bom ;)

    ResponderExcluir
  2. haha... em pensar que até certa idade essa era a razão de esperniarmos e aprontarmos um berreiro... rs

    Não lembro mais, mas devia ser uma "dilícia"... rs

    ResponderExcluir
  3. eahhaeehaaeheheaheahheaeh! barbaridade, pior que nosso passado nos condena!
    EAHeahaehaeH

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs