25 de abr de 2009

Fora da igreja há salvação?


Esta frase foi dita por Cipriano de Cartago no terceiro século de nossa era e acabou se tornando dogma na Igreja Católica Romana, mas creio que tem sido adotada por muitas igrejas e denominações evangélicas. Neste caso, o sentido da frase até pode ser ampliado para “Fora da igreja não há Cristianismo!” implicando, entre outras coisas, em que Cristianismo e igreja sejam a mesma coisa.

Em primeiro lugar é preciso deixar claro que a existência da igreja não pode ser colocada em dúvida, mas isso não significa que ela deva ser um fim em si mesma e, creio, que é isso que tem acontecido em alguns casos. Pois quando entendemos que textos como “buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça (Mt.6:33) são interpretados como “buscar em primeiro lugar as atividades e ocupações na igreja” estamos reduzindo o reino de Deus e o Cristianismo às atividades eclesiásticas em vez de considerarmos a igreja como um meio que Deus instituiu para ser um ambiente fértil para o desenvolvimento da vida cristã, da piedade, da capacitação do crente para ser cristão no mundo e desenvolver os seus dons de serviço. Também um meio para ser uma comunidade terapêutica, de capacitação na compreensão da vida, das doutrinas, da Bíblia, uma comunidade – a família de Deus, etc.

Transformamos a igreja num fim em si mesma quando entendemos que a vida cristã se resume em atividades e mais atividades freneticamente desenvolvidas no domingo, que deveria ser um dia de celebração, descanso e passa a ser “dia do cansaço” e da agitação, como se o Cristianismo de sete dias pudesse ser vivido apenas em um dia. Mesmo porque igreja passou a ser um lugar, um estatuto, um organograma, em vez de pessoas pelas quais Cristo morreu na cruz. Sem dúvida o estatuto, o organograma são necessários, mas também são meios e não fins.

A igreja de Jesus Cristo é um meio, um instrumento para levar o evangelho ao mundo, para capacitar os salvos à vida em comunhão e lealdade ao Senhor. A igreja não pode ser confundida com o reino de Deus, mas deve ser considerada um instrumento de Deus para seu reino, dando ao crente condições para viver o reino no mundo, no seu dia-a-dia, como cristão. E ser cristão não é só pregar que Cristo salva, mas viver a salvação que Cristo nos dá.

Quando a igreja se considera um fim em si mesma acaba nutrindo a entropia, fechando-se em torno de sua própria existência. Não sendo sinérgica, deixa de cumprir a sua missão integral que tem como ponto de partida levar cada pessoa a viver para a glória de Deus.

Por Lourenço Stelio Rega

Fonte: Crer e Pensar [Via: Púlpito Cristão]

8 comentários:

  1. Muito bom o texto .. como dizia John Wesley: Minha Paróquia é o mundo!

    É isso ai !

    Abração, depois passa lá no meu blog:
    http://bjardim.blogspot.com/
    Te "linkei" lá.

    ResponderExcluir
  2. Thiago, parabéns por este esclarecimento, e que todos cristãos deveriam tomar nota, que Deus continue usando pessoas com sua clareza para esclarecer outras pessoas que andam no obscurantismo religioso.

    ResponderExcluir
  3. No livreto "Pode um cristão ser budista", o autor (católico) tenta ampliar o tema para a frase "fora da comunidade não há salvação" ou "fora da comunhão não há salvação", que eu penso que apesar de carregar um certo tom de condição para a salvação, são sentidos mais apropriados. E sim, se os católicos transformaram isso numa heresia, nós evangélicos fazemos ainda pior, porque não dizemos, mas praticamos que fora da NOSSA igreja não há salvação. Abraço

    ResponderExcluir
  4. Pra mim é muito difícil pensar assim, mas é uma verdade que quando revelada não se pode fugir. A dificuldade está em encontrar pessoas que pensem igual fora do mundo virtual, ou que pelo menos sejam a favor da dialética. Por mais que muitas congregações sejam abençoadas sempre há uma sistemática formadora de colaboradores pressionados a alcançar os resultados da instituição, bem ao estilo da imagem postada, rs.

    ResponderExcluir
  5. creio que quando conseguirmos fazer a separacao entre reino de Deus e reino dos céus, ai sim estaremos começando a entender alguma coisa.
    creio que reino de Deus nao tem nada a ver com a salvacao.

    ResponderExcluir
  6. quando paulo fala para o cristaos homosexuais , adulteros, roubadores e etc , que nao herdariam o reino Deus tais pessoas que praticavam tais coisa,Paulo nao queria dizer que eles perderiam a salvacao, pois o reino de Deus nao é comida nem bebida mas,,paz no espirito.

    ResponderExcluir
  7. os crentes que praticam tais coisa, que nao sao poucos , perdem nao a salvacao e sim as bençaos de Deus aqui na terra e galardao no ceu

    ResponderExcluir
  8. os crentes que praticam tais coisas, que nao sao poucos, perdem nao a salvacao e sim as bencaos de Deus aqui na terra e os galardoes no céu.

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs