14 de abr de 2009

Nossos Emergentes Brasileiros

Nossos Emergentes Brasileiros...

Bem, faz tempo que não escrevo, mas gostaria de aproveitar meu espaço hoje, para uma Crítica e também desabafar um pouquinho. Ha dias me sinto engasgado com minhas viagens e passeios, navegando por alguns blog’s com temáticas emergentes, e falo para vocês, cada vez mais me entristeço e me decepciono com estes grupos, que acabam por intitular de detentores do movimento, as conhecidas bocas emergentes, mas em contrapartida saem em uma postura totalmente arrogante assumindo o microfone da mídia blogueira, levando cada vez mais as idéias e iniciativas dos movimentos emergentes para a boca do lixo.

Gente que ao meu ver, que ao analisar as suas Histórias, e seus frutos, levando em conta que muitos destes, por longo tempo temos acompanhado, acabam por apenas serem pessoas com sérios problemas com o evangelho de Jesus, e usam esta porta da emergência para satisfazer seus desejos promíscuos e covardes de viver uma vida descompromissada com Cristo, obtendo nos movimentos emergentes uma desculpa para suas própias devassidades.

Em meio a esta bagunça egocêntrica ficam algumas perguntas no ar, dentre elas considero duas de extrema importância. O que na verdade seria a real intenção destes novos movimentos emergentes em relação ao corpo de Cristo? E qual seria o propósito desta igreja com uma cara mais missionária, designada como igreja missional?

Se as respostas forem estas “propostas asquerosas” declaradas pela vida e filosofia destes “pseudo blogueiros emergentes”, esta Igreja instituição que massacra pessoas com teologias pagãs, se torna irmã gêmea, tão fétida quanto à vida em libertinagem que muitos defendem como liberdade da teologia emergente.

A imagem que muitos estão querendo passar desta igreja “emergente” é um crentinho filosofando com uma latinha de cerveja, uma bagana de fumo, ao som do U2, dizendo; sou livre em Cristo, ao mesmo tempo que defeca em cima da Bíblia.

Precisamos urgentemente de uma revisão de nossas teologias, centralizando elas em Cristo, sabendo que o propósito da igreja emergente não é modificar a Igreja para os nossos prazeres, mas buscar opções para que nossa linguagem chegue ao ouvido dos que se perdem. O Movimento emergente não é um “revival fashion” da teologia liberal, e sim um movimento movido pelo amor, que torna a consciência da igreja em corpo e representação de Cristo na terra, tendo em vista uma vida de constante conversão e compromisso com Cristo.

Como disse meu amigo em uma mensagem, "não vamos tornar esta iniciativa que é o Movimento Emergente, em apenas mais uma Arapuca na igreja."


Pr. Leandro Barbosa no blog Emeurgente

Tirando o "crentinho", a "bagana de fumo" e o "defecar em cima da Bíblia"... por mim no problem - rs. Mas, é sério... o diálogo é sempre bem-vindo e oportuno. Exemplos de movimentos, reformas e revoluções na igreja no passado piscam como alerta diante da igreja atual que deseja remodelar-se e encontrar-se no Evangelho, buscando relevância e inferência na vida das pessoas, de forma a levar a imagem de Cristo sem caricaturas. Não escondo que temo pelos rumos e consequências da conversa emergente. Não gostaria de assistir o mesmo destino desvirtuado e sem apego ao ensino de Jesus de outras "reformas" de outrora. É claro que, sempre haverão discrepâncias em relação à qualquer proposta de mudança. Mesmo que esta prime por retorno. Só acho que com a bagagem e os exemplos do passado que ostentamos, as consequências indesejáveis possam ser minimizadas.

12 comentários:

  1. Caro Thiago Mendanha:
    Tenho acompanhado a conversação teológica emergente no Brasil desde de 1989, quando conheci tremendos homens como: René Padilla, Orlando Costas, Samuel Escobar, Robinson Cavalcanti, Severino Croatto, Norberto Saracco, Harold Segura, Ed René e outros. Desde 2000 quando conheci Brian Mclarem, Rob Bell e outros. Tenho visto também, a seriedade que o colega tem tocado o blog (Tomei a pílula vermelha).
    Agora, nunca ouvi falar de nenhum “Pr. Leandro”, ou muito menos de alguém dos que estão enganchados na conversa com seriedade, tentando dominar a ideia do movimento, ou comprometendo as Escrituras. (como disse o texto: defecando nas Escrituras) .
    Por de trás de um texto desses, existe também uma certa ignorância a respeito do movimento emergente. Primeiro, porque o movimento é recente e ainda não está consolidado em suas bases teóricas. Mas também pelo próprio espírito do movimento que visa romper com o dogmatismo da modernidade e abrir um diálogo mais aberto e inclusivo no contexto da chamada pós-modernidade (Coisa que muito pastor nem sabe do que se trata) .
    Não costumo levantar bandeira alguma contra ideias, críticas ou pensamentos, mas num texto como este, me posiciono em defesa daqueles que (como eu) estão buscando o melhor para o futuro da Igreja, pois tal texto não possuí base alguma e estraga o esforço de pessoas como você.
    Concluo o post parabenizando o amigo, e deixando aquela famosa frase de Cristo para os Pr. Leandros do Brasil:

    ” Pai, perdoa-os, pois não sabem o que fazem”.

    ResponderExcluir
  2. Nelson,

    Primeiramente, agradeço as palavras que muito me motivam e me alegram. Em segundo lugar, gostaria de deixar registrado aqui a importância do papel desempenhado pelos que primam pelo futuro da Igreja, em especial a Igreja Brasileira. Nestes, incluo você em companhia dos nossos brothers do portal igrejaemergente.com

    Louvo e agradeço a Deus pela vida e ação de cada um de vocês que têm trazido para nós uma mobilização em favor de mudança, de reformulação, de reconstrução e zelo pela missão do corpo místico de Cristo.

    O esforço de vocês em traduzir a conversa emergente tem frutos, e nestes me incluo.

    Infelizmente, muito poucos entendem a mobilização da Igreja rumo à sua missão, à sua tarefa, à sua melhoria. Não concebem uma Igreja rompendo paredes de templos, de fachadas, de denominações, de "ídolos apostólicos", de "pastores-showmen", de "teologias enlatadas e capitalizadas", e de tratados teológicos empoeirados e muito pouco coerentes com o caráter de Jesus.

    Atém-se muito aos rótulos e perdem o fio da meada. Preocupam-se com o "emergente", com o "caseira", com o "underground", com o "tradicional", com o "liberal", etc, etc... e distanciam-se da possibilidade de interação, diálogo e compartilhamento de idéias e propostas para edificação do corpo de Jesus Cristo.

    As dúvidas vão surgindo de todos os lados, críticas vem, interessados aproximam-se... e, fato é que, ainda há muito trabalho pela frente no tocante a amadurecer a Igreja, principalmente em terras tupiniquins!

    Novamente, obrigado pelos préstimos... e que Cristo seja tudo em todos!

    ResponderExcluir
  3. Yes you can, Brazil. Sim, você consegue e conseguirá, Brasil. Conseguirá não se deter a farisaismos e legalismos. Conseguirá ver igrejas onde não imaginamos antes. Neste processo de repensar igreja, os que querem impôr sua linguagem, regras e conceitos de igreja como fonte autoritativa talvez se frustrem. São sintomas de pessoas que temem não ter o controle da linguagem. Não há como um blog assumir o microfone, graças a Deus, ou melhor, graças à Internet. Fico contente de a conversa emergente ser uma mudança radical no construir da teologia e no processo coletivo de construir a teologia. Que fique claro que não estamos falando de um papo legal para evangelizar jovens, mas de um repensar da teologia e da praxis - ítens que requerem massa cinzenta. Tomemos juntos a pílula vermelha!

    ResponderExcluir
  4. "Pai perdoa-nos a todos nós, pois não sabemos o que fazemos."

    Creio que a ênfase deva ser na primeira pessoa. O movimento cristão tem hoje uma oportunidade única, de se libertar dos códigos e dos métodos (humanos e humanísticos).

    O que é ser emergente, não tem como bem disse o Nelson do IE: um movimento consolidado e estruturado. A hora que tiver - capum !! Perde o seu sentido inicial.

    Agora, será que o nosso pastor não mirou em algo, usou a arma errada, e acertou no que não viu??

    ResponderExcluir
  5. 1º resposta a alegações que considerei maldosas, desprovidas de um espírito cristão.

    Um movimento que como diz, acompanhar desde Brasil meados de 1989, não seria um movimento recente. Quanto ao fator “Nome” título” entre outras isso nada importa pois a critica aberta a questões como “teologia” “emergência” é dada a qualquer pessoa que tenha alguma formação, ou interesse teológico, seja dada a leitura, se informe, acompanhe mensagens, entre outras tantas infinidades de possibilidades dentro deste universo cristão. O fator de ter conhecido Brian, Rob, etc, não o torna melhor do que ninguém, é a mesma coisa que eu afirmar que o fator de um dia ter conhecido o Mandela, por este fato, agora posso me dizer ser “negro”, o fator é que temos liberdade de em cima do que lemos e pensamos, nos informar, e ter nossas própias opiniões, e indignações. Indiferente de você me aceitar ou não, é um direito meu, ter minha leitura dos aspectos que julgo positivos e aplico em minha vida do movimento emergente, ao qual admiro muito, abraço, e absorvo suas positividades.
    Quando se posiciona desta forma “que me desculpe dizer foi um ato arrogante” postando uma descaracterização quanto a minha pessoa, sem me conhecer, fato afirmado em sua resposta, você se qualifica e se classifica dentro destas pessoas que abordei neste texto, tendo uma postura farisaica as avessas, pois ao invés de me conhecer e procurar saber o que penso, me caracteriza como fariseu, se colocando em uma atitude superior, procurando desprezar minhas idéias, tentando me desqualificar intelectualmente, (isso se chama assassinato intelectual) sobre o pretexto de se crer mais informado, mais conhecedor, etc, etc. Isso a meu ver. é uma atitude errada em sua postura meu irmão. Desde já quero me colocar a sua disposição para comunicar-me, e se querer saber mais sobre mim, estou aberto a discussões, pois como Tiago muito bem colocou, temos que desenvolver mais discussões referentes ao tema, como mesmo falamos, é algo que esta em crescimento e formação, e todas as opiniões são somatórias pára o bem de todos, sem um interresse preconceituoso, pois não falamos de instituições e sim de nossa vida pessoal como discípulos de Cristo, e o que podemos fazer para expressar nossa missão como igreja e “CORPO”, de Cristo.
    Meu mail – (pastorleandrobarbosa@hotmail.com)
    Desde já agradeço pelo espaço Tiago, e agradeço seu respeito, amizade, e carinho, dignos de uma pessoa de que se chama seguidor de Cristo.

    "Não pode existir uma máfia que defina os ditames de nossas conversações, pois voltaríamos ao mesmo espírito ditatorial que tanto criticamos nas instituições”

    ResponderExcluir
  6. “TIAGO - opa! Puxa, não pensei que meu textinho ia deixar o pessoal tão nervoso, mas crítica é isso, o chapéu acaba por servir em muita gente, pois quem faz certo não se sente agredido! valeu por tudo Tiago, um super abração! e reafirmo

    "realmente temos que questionar os rumos que estamos tomando como igreja, isso falando do lado de lá e dentro de casa também" hihihi!

    ResponderExcluir
  7. Leandro,

    acho que a abertura despretensiosa ao diálogo é extremamente necessária. Por isso achei interessante postar seu texto. É sua opinião, é sua visão das coisas... claro, que sempre haverão divergências. Mas, é essa a graça da coisa... divergir, para podermos construir...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Premissas erradas. Diagnóstico errado. Remédio errado. Façanha tríplice.

    ResponderExcluir
  9. Comecemos do início. Você, pastor Leandro, por acaso não escreveu o seguinte comentário anônimo (http://gustavofrederico.blogspot.com/2009/03/deus-e-brasileir.html ) : "Fútil, e desconexo com o sofrimento do mundo, em suma, olhando pro própio umbigo, em suma para mim + um frustado religioso, se ser emergente é isso, uma merda tem mais valia por adubar a terra...

    (falo isto sendo emergente em minha ideologia)"

    Nos ajudaria a entender seu argumento melhor, porque até momento só li colocações sem nexo e sem base.

    abraços

    ResponderExcluir
  10. Gustavo K, Bem mano, continuas com insistentes tentativas de me desqualificar 1° intelectualmente, agora com acusações morais, me atribuindo comentários de baixa moral em teu blog, inclusive pude ver, E achei alguns textos interessantes, “mas pela atitude tua em relação a mim, acaba por desqualificá-lo pois bons textos muitas vezes acabam por serem manchados por más condutas.” Bem aconselho você a me adicionar no MSN, onde com muita alegria te receberei, e poderemos com liberdade dar continuidade a qualquer indagação sobre minha pessoa (pastorleandrobarbosa@hotmail.com) mas gostaria de pedir o fim destas agressões, e vamos manter uma discussão em um nível mais civilizado, sem preconceitos, e acusações, etc. Te convido a ser meu amigo e podermos partilhar de idéias de forma saudável, respeitando e entendendo que cada um tem sua importância dentro do seu contexto, (isso se realmente trabalha-se para isso) Um super abração e fica com Jesus!

    ResponderExcluir
  11. Eu vou parar de responder as agressões neste post sobre minha crítica, justo para não dar mais combustível, a esta discussão baseada em depreciação, e acusações. Com alegria convido a todos a participarem de meu blog, (http://emeurgente.blogspot.com/) ou me adicionar no MSN, (pastorleandrobarbosa@hotmail.com) onde com muita alegria estarei disposta a responder questões e debater assuntos dentro de uma visão de crescimento pessoal, e o bem para o corpo de Cristo, Um super abração a todos.

    ResponderExcluir
  12. Pôxa, K-Fé...Gosto do teu blog, mas agora vc pegou um pouco pesado, hein?
    Apesar de não concordar integralmente com o Leandro (imagino que ele "carregou nas tintas"), concordo nisto que ele escreveu: "O Movimento emergente não é um “revival fashion” da teologia liberal, e sim um movimento movido pelo amor, que torna a consciência da igreja em corpo e representação de Cristo na terra, tendo em vista uma vida de constante conversão e compromisso com Cristo."

    "Premissas erradas. Diagnóstico errado. Remédio errado."

    Não é façanha alguma... Eu mesmo já as "cometi", maiores! rsrs E quem em algum momento da vida não a(s) cometeu? rsrs

    E me parece que seu aguerrido ponto de vista não conseguiu criar diálogo algum, muito pelo contrário, e aí está fato que eu lamento, e não pouco...

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs