14 de mai de 2009

Lógica sexual


Existe uma certa "lógica" cristã-evangélica que tenho muita dificuldade em entender, ela é mais ou menos assim:

1o. se você pecar sexualmente, mas não for cristão: "venha! nossas igrejas são pra você."2o. se você pecar sexualmente, mas for cristão: "saia! nossas igrejas não são pra você."3o. se você for cristão e pecar em qualquer área, exceto a sexual: "fique! pois os irmãos te perdoam."4o. se você for cristão e não pecar em nenhuma área, exceto a sexual: "saia! pois nem Deus te perdoa."Pra um mundo caído e cansado, cheio de pecado e pecadores, porque essa fascinação com a área sexual apenas?

Igrejas assim acabam virando "museus de santidade" :'(

Comentário do Roger no Pavablog#
Além desse comentário lúcido do Roger seria interessante ler também o texto abaixo:


Pecados sexuais: como a igreja deve encará-los?

Conforme está subentendido no título, a problemática abordada aqui não será o pecado em si, mas o modo como a igreja trata o pecador.

Nós protestantes, em teoria, repudiamos a idéia católica de pecado venial e mortal. Porém, o que é admitido na teoria é negado na prática através do exercício daquilo que convencionamos chamar de disciplina eclesiástica. Podem relutar o quanto quiserem, podem me chamar de perturbador da ordem, mas o fato é que eu não consigo ser hipócrita e nem fechar os olhos para essa verdade.

Mas a disciplina eclesiástica (um eufemismo para excomunhão) é bíblica, alguém certamente dirá. A estes, responderei que não estou interessado em debater a “biblicidade” da prática. Quero antes, apelar para o nosso senso comum e propor algumas questões. Ora, se ela é bíblica, e uma vez que o pecador precisa ser “disciplinado”, porque é que não disciplinamos todos os mentirosos, os invejosos, os soberbos, os avarentos e herejes em nossas igrejas? Porque é que suportamos pacientemente estes pecados, e condenamos a exclusão apenas os pecados sexuais? Acaso isso não é usar de dois pesos e duas medidas? Será que isso não significa ressucitar uma doutrina católica refutada e abandonada na época da reforma e enxertá-la no nosso meio? Somos evangélicos de alma católica, essa é a verdade.

Os fariseus de plantão que me apedrejem se quiserem, mas definitivamente não concordo com essa praxe absurda das igrejas evangélicas. É injusto que um casal de namorados, que confessa seu pecado com lágrima nos olhos diante do pastor, declarando-se arrependidos, sejam punidos com três meses de “disciplina”, durante a qual não podem exercer atividades na igreja, nem participar da Ceia do Senhor; enquanto os herejes televisivos, que dão veneno para as ovelhas comerem, homens rebeldes e soberbos que não têm o menor interesse em se arrepender, são tolerados nas igrejas locais e nas convenções. Que cristianismo é esse, que oprime o arrependido e faz vista grossa para o impenitente? Que igreja é essa que pune o quebrantado e tolera o rebelde incontrito? Definitivamente, algo está errado em nosso meio.

Pecados sexuais, numa escala de 0 a 10, recebem pontuação 11 nas igrejas! O caso é tão extremo que admite-se reintegrar ao ministério pastoral a um ex-ladrão, ex-caloteiro, ex-corrupto, enfim, ex-TUDO, menos um ex-adúltero, ou um ex-fornicário! Não estou defendendo direito de púlpito para A ou para B; só estou tentando te convencer de que há certos costumes que precisam ser mudados. Somos bons para exercer justiça (a nossa, obvio!), mas péssimos em misericórdia. Ah, mas o obreiro deve ser irrepreensível, você me dirá. Mas sejamos sinceros, ao menos dessa vez: Quem entre nós, membros, líderes, pastores, é irrepreensível no sentido absoluto da palavra? Ora, se apelarmos para a literalidade nesse versículo, então nem eu, nem você, nem Tomé e nem Pedro o eram! Não devemos entender essa irrepreensibilidade como uma obra acabada, e sim como uma busca constante e sincera. Do contrário, a Bíblia não fará nenhum sentido!

Como a igreja deve lidar com os pecados sexuais? A resposta é simples: Da mesma forma como Jesus os tratou. Como atuou o Mestre quando lhe trouxeram aquela mulher apanhada em adultério? Ele não deu nenhuma ordem de linchamento, antes nivelou a situação ao perguntar se havia alguém, entre aquela enfurecida turba, que jamais houvesse pecado. Ao fazê-lo, Jesus mostrou àquela multidão envaidecida e cheia de auto-justiça, que o pecado daquela mulher não era maior que os pecados deles. Logo disso, Jesus perdoou aquela mulher, brindando-lhe aceitação e amor, e em lugar da costumeira repreensão, deu-lhe um sábio e concludente conselho: vá e não peques mais.

Amado pastor: Devemos aprender com o pastor Jesus. Quando estivermos no gabinete pastoral aconselhando um caso de pecado sexual, e não soubermos como lidar com o tema, façamo-nos a seguinte pergunta: “o que faria Jesus no meu lugar?”. Será que ele disciplinaria o casal arrependido, condenando-os à pena de 3 a 6 meses de reclusão, ou será que ele, após confirmar o arrependimento de ambos, diria: “nem eu te condeno: vá e não peques mais”? Pecado sempre será pecado, e deve ser tratado como tal. Mas lembremo-nos de que, assim como há pecado, também existe perdão.

Soli Deo Gloria!

Por Leonardo G. Silva - Th.M.
Fonte: Púlpito Cristão

13 comentários:

  1. Olá Tiago.
    Tenho um selo pra vc no meu blog.
    http://lucleciasilva.blogspot.com/2009/05/3-selo.html

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre acho que no caso dos crentes, o pecado sexual tem maior atenção pq mexe com todos, tipo eu nao vejo com bons olhos esses caras q pregam com muita rigidez contra sexo na igreja pq acho q o problema deles é justamente na área sexual daí isso fica parecendo um meio de negação, na igreja pode tudo menos F****, eu ja ouvi muita gente dizendo isso e esse seu texto so vem colaborar, a infinidade de sites que ficam condenando sexo me assusta, é como se realmente vc pudesse fazer tudo menos sexo, pq nao sei de onde tiraram a ideia de q sexo é pecado maior. Essa obssessão com a vida sexual da meninada as vezes pode atrapalhar.

    Opinião pessoal tá?

    beijocas

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante e verídico esse comentário do Roger. A igreja precisa rever suas formas de lidar com a sexualidade, não só com relação ao tratamento dos "pecadores cristãos", mas sim no sentido de abrir espaço para que o assunto seja debatido de forma mais livre.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante o Post.

    Eu conheço muitos jovens pressionados a se casarem antes de estarem preparados por medo de cometerem qualquer pecado "imperdoável". O que é bastante engraçado, porque pensar que com o casamento tudo se resolve é uma ingenuidade assustadora.

    Por outro lado, vejo também muitos jovens que acham que, porque não cometem pecados sexuais, não cometem qualquer pecado (são santos a caminho do céu, rs)

    penso que tanto o medo, quanto a arrogância nos afastam da verdadeira espiritualidade.

    ResponderExcluir
  5. Sou um filho da puta!
    Da grande puta universal Que arreganhou as pernas para o
    mundo e por muito pouco dormiu com vagabundos, viciados, políticos safados, reis
    e donos de veículos de comunicação.
    Meus irmãos filhos da mesma puta têm
    vergonha da minha mãe, eu não , sou apaixonado por ela! Mamo nas suas tetas com
    o mesmo prazer e fome que tenho desde que sai de seu ventre , que mesmo me
    abrigando recebia seus homens e que ainda agora depois de ter gerado tantos
    filhos, continua sendo penetrado noite após noite , dia após dia. Um dia um
    profeta , apaixonado por ela , recusou seu corpo, mas ofereceu suas riquezas,
    aos amantes de minha mãe, para que estes não lhes deixasse faltar nada. Nem o
    pão nem a a cachaça.
    Ele é cego , louco ou enxerga demais Ele vê uma jovem
    virgem onde todos vêm uma velha puta. Ele acha graça no seu jeito de andar onde
    todos vêm apenas uma bêbada cambaleando. Sou um filho feliz porque eu sei que a
    minha puta mãe assim mesmo toda errada, esse tempo todo não me deixou faltar
    nada. Nem o pão nem a cachaça. Amanha eu me torno adulto e talvez mais um
    adultero , meu pai eu não sei quem é Mas sei que tudo que nele eu mais odeio,
    amanha serei eu e esta mulher ainda me diz : ame seu pai .
    Meu pai é filho da
    minha mãe, outro filho da puta.
    Postado por Jorge Moreno

    ResponderExcluir
  6. A percepção é oportuna. Só gostaria de alertar que o fato de o pecado sexual não ser PIOR que o orgulho, por exemplo, também não é menos PECADO.
    Deixo links de John Piper para os amigos:
    http://www.youtube.com/watch?v=duEPBK7NvGU
    http://otdx.blogspot.com/2009/03/maldicao-da-culpa.html?showComment=1238814420000
    http://www.desiringgod.org/ResourceLibrary/LanguageIndex/14/3438_Missions_and_Masturbation_Portuguese/

    ResponderExcluir
  7. Então o que eu quero dizer é...
    Como pode uma instituição tão "prostituta" se interessar tanto por esse assunto : o sexo ? ( isso com severas imposições e punições)
    Pela própria fascinação e falta de controle que ele exerce sobre eles , os líderes religiosos...
    Se vivessem simplesmente e percebecem a simplicidade das coisas. Perceberiam também que comer, beber, sorrir, cagar, trepar, ou qualquer outra coisa do cotidiano têm a mesma importância em genero e gral levando em conta o controle ou falta dele que nós temos sobre estas questões.
    confuso?
    acho a forma que se trata desse assunto na intituição igreja uma grande palhaçada e hipocrita e maldosa.
    por jorge moreno

    ResponderExcluir
  8. Oi... Muito interesante o texto e tudo nele escrito, tambem discordo a forma de "disciplina" aplicada nas igrejas, quando Deus nos disciplina eh com amor, e eh esse o momento en que Ele mais de aproxima de nós. Definitivamente os pastores nao fazem nada sequer parecido com essa disciplina de Pai que temos em Deus.
    Mas Cuidado! O sexo eh tao pecado como a mentira, a corrupcao, a omissao... mas cada pecado tem uma consequecia diferente, e a do sexo eu considero (pq a estou vivendo) uma das piores...A inseguransa num relacionamento, os ciumes, as lembrancas, a culpa, uma gravides indesejada ou ateh uma Aids, sao consequancias e marcas dificeis de levar. Eh certo que Deus nos ama e que faz com que todas as coisas cooperem para o bem no que O amam, mas Ele eh justo e as consequancias do pecado sexual nao vao deixar de existir. Eh duro, mas eh fato.

    ResponderExcluir
  9. Olha, tô impressionada!! Achei que só eu pensasse isso....
    Que bom que não.
    O texto está tão bem escrito que nem tenho nada a acrescentar..

    ResponderExcluir
  10. A Paz do Senhor a todos.
    Tanto o texto do Leonardo, como o comentário do Roger expressam a realidade das igrejas.
    Triste realidade, para ser mais exato.
    Realidade de hipocrisia e parcialidade.
    Deus abençoe a todos em nome de Jesus.
    Alessandro Cristian
    www.alessandrocristian.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Muito perspicaz a opnião do Roger.

    ResponderExcluir
  12. É, a igreja precisa olhar o ser humano com mais amor...

    ResponderExcluir
  13. O assunto ainda piora mais quando lida com Homosexualismo. Nessa hora e mostrado menos misericordia ainda. Os que estao pensando nessas coisas devem fazer sua parte.

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs