2 de jun de 2009

O deus que me apresentaram

O deus que me apresentaram curava doenças de pessoas que nem sabiam que estavam doentes.

O deus que me apresentaram tirava "laços de morte" porque a pessoa tinha se convertido mas, matava crianças por conta da fome, outras em enchentes e algumas outras em catástrofes.

O deus que me apresentaram falava através de profecia que uma pessoa na igreja tinha bebido, mas não costumava falar que a própria pessoa que estava profetizando roubava o dízimo que pessoas tinham entregado à igreja.

O deus que me apresentaram cobrava o dízimo e me ameaçava. E ao mesmo tempo dizia ser o dono da prata e do ouro.

O deus que me apresentaram era imutável mas, se fizéssemos uma campanha ele facilmente mudava de ideia.

O deus que me apresentaram não gostava de rebelião, desde que a pessoa não fosse, no mínimo, pastor.

O deus que me apresentaram cobrava jejuns e orações prolongadas para que seu poder se manifestasse em nós. Ao mesmo tempo que podia usar qualquer um a qualquer momento.

O deus que me apresentaram queria que entregássemos as ofertas mesmo que o único dinheiro no bolso fosse o de pagar o aluguel.

O deus que me apresentaram faz promessas individuais, mas cumpre só se houver penitência.

O deus que me apresentaram se manifestava através de pastores que faziam atos proféticos, como orar na praia com uma fogueira no meio em que nomes em papeizinhos seriam queimados. Ao mesmo tempo ficava extremamente irado se alguém fosse da macumba.

O deus que me apresentaram era meio injusto e incoerente. No entanto afirmar isso era declarar a morte, afinal ele também era vingança e ira.

--//--

Por vezes ser cético é agir de forma mais cristã do que ser um religioso cínico.



Raphael, no blog Rapensando


Interessante! Esse figura é meio que popular por aí, não é?! Engraçado que também me apresentaram esse deus... e parece que cada vez mais ele vai mais longe! Parece que tem uma equipe de publicidade e marketing pessoal muuuuito competente!

3 comentários:

  1. De fato esse não é o Deus a quem sirvo. O Deus que eu sirvo é justo, misericordioso,amoroso, bondoso, enfim...qualidades que nem se podem descrever tantas são. Mas esse outro deus aí também já me foi apresentado, no entanto preferi não segui-lo.

    ResponderExcluir
  2. É... bastante estranho esse deus que apresentam por aí. Nada a ver com o Deus que eu sigo...
    Alessandro Cristian www.alessandrocristian.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Talvez o Deus que andam apresentando seja o mesmo Deus que eu sirvo, afinal de contas se mesmo eu convivendo com ele a tanto tempo ainda nao consigo entende-lo totalmente. Entao como que posso esperar que os outros entendam.

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs