16 de nov de 2009

7 Dias Para Viver




O que você faria se tivesse apenas uma semana de vida?

Abordei quatro pessoas próximas com esta pergunta. A pergunta foi feita de súbito, fora de contexto. Indaguei do nada surpreendendo-as com uma questão pouco levantada em seus dias comuns.

Primeiro foi interessante observar as expressões de impacto: "Como assim?", "O quê?", "Hummnn..."

Acredito que a esmagadora maioria das pessoas não pensam muito nisso. Ninguém gosta de pensar no fim! Ninguém quer o fim. Todos queremos - e pensamos ter - mais tempo. Todos nós vivemos como se fôssemos imortais na verdade. No mínimo afastamos de nossos pensamentos a idéia de que enfim aquele dia chegará... o dia em que findará tudo o que conhecemos, tudo o que vemos, tudo o que experimentamos, tudo o que construímos e conquistamos.

Pense um pouco comigo. O que dá valor às coisas? O que é valor? O que é importante? O que vale a pena? Onde está nosso tesouro? O que é nosso tesouro?

Creio que você como eu acordamos todos os dias e temos como meta ganhar dinheiro para viver, certo? Ou será que temos vivido para ganhar dinheiro? Pare para pensar um instante... onde você deposita seus valores? Ao que você confere valor?

Todo mês quando recebo meu merecido "dinheirinho", que logo tem seu destino certo, fico a pensar: "Puxa vida! Esse papelzinho filho da p&t@ é razão de boa parte da minha rotina! É razão de boa parte de minhas preocupações. Por causa desse papelzinho morrem pessoas... PESSOAS, caramba! Papelzinho... pessoas... Algo está errado aqui..."

O quê? Pegamos uma papel impresso e lhe conferimos valor? Não consigo entender o fênomeno de valorizar alguma coisa sem comparação. Algo tem valor diante de outra coisa que não o tem. O valor é praticamente simbólico, abstrato. O valor das coisas brota de dentro de nós...

Famílias estão passando fome porque não têm alguns papéizinhos "com valor"? Crianças estão sem perspectivas de futuro por causa de papéizinhos atribuídos de "valor"? Isso não soa nem um pouco justo. Aliás, é isso que é o Capitalismo, certo? Lucro inconsequente. Lucro injusto. Lucro, lucro e lucro...

Mas, valor é algo que só tem sentido se comparado com outra coisa sem valor! E para isso ser determinado precisamos de perspectivas. O mundo gira como se não fosse findar nunca. Lucrar é a ordem. Vencer é o objetivo. Acumular é o princípio.

Mas, o que acontece quando você só tem sete dias para viver? Suas perspectivas mudam radicalmente. Suas prioridades alteram-se como nunca seriam se não lhe restasse tão pouco tempo. Resumindo, seus valores tornam-se outros. Melhor dizendo, as coisas que realmente têm valor emergem nessa perspectiva de reta final.

O trabalho árduo, frenético e quase incessante perde o sentido. Se este perde o sentido, o dinheiro então torna-se loucura! O poder, a ganância e o orgulho tendem a perder campo. O que realmente importa na vida torna-se mais claro quando nossos dias são abreviados.

Ninguém quer gastar seus últimos sete dias de vida trabalhando, ganhando dinheiro, exercendo poder, vingando, magoando, maltratando, brigando, acumulando bens, retendo tesouros, negligenciando o outro necessitado, e tantas outras coisas que são comuns enquanto vivemos "imortais".

As respostas que tive me levaram a perceber que realmente vivemos e damos valor às coisas que na verdade não teriam valor algum para nós numa perspectiva de morte iminente. O que por conclusão temos que, de fato, não são coisas que deveríamos atribuir valor.

E nos últimos sete dias de vida o que realmente importa é estar com as pessoas que você ama. É estar com as pessoas que te amam também. É correr atrás de fazer feliz e se preocupar menos com que te façam feliz. Na última semana de vida o que realmente tem valor são PESSOAS... essas coisas que geralmente não damos valor durante toda uma vida pensando que somos "imortais".

Deus deve achar ridículo quando damos valor a "papéizinhos" e não às pessoas quando estas são na verdade as únicas coisas que importam quando paramos para pensar...


Texto que escrevi para o Blog dos 30! Todo dia 16 um "textículo" meu por lá =)

11 comentários:

  1. "Fui moço e agora sou velho,mas nunca vi desamparado o justo,nem a sua descendencia mendigar o pão.Compadece-se sempre,e empresta,e a sua semente é abençoada."(Salmo 37:25,26)

    ResponderExcluir
  2. Não sei o que faria em 7 dias, talvez fazer tudo de bom , as coisas que deixei de fazer quando era imortal.....esperando um arrependimento da minha consciência...um momento pra acreditar que fiz algo realmente bom pra alguém...

    Bom texto...

    ResponderExcluir
  3. putz cara... ótimo texto, simples, direto e que deixa a alma um tanto inquieta com:"fazer feliz e se preocupar menos com que te façam feliz". Poxa vida, que mundo é esse que construimos, meu Deus?! Por que Te excluimos?

    ResponderExcluir
  4. E aí Thiago, beleza?

    Excelente texto que nos impulsiona a pensar e repensar o que realmente tem valor na vida. As coisas que realmente têm valor para além do imediatismo, da correria, do materialismo exacerbado, não podem ser trocados por papel pintado.

    abraços calorosos

    ResponderExcluir
  5. Você foi muito feliz nesse texto!
    Bela reflexão, e totalmente verdadeira.

    ResponderExcluir
  6. atualiza essa porra carai... deixar os leitores famintos é uma crueldade

    ResponderExcluir
  7. Moooooooçooo... vou atualizar essa bagaça, aguenta aí... rs

    ResponderExcluir
  8. 7 dias pra viver.. cara isso dá tema pra blog.. pra livro.. pra música.. pra filme.. ow... já teve filmes com essa temática não?!

    ResponderExcluir
  9. Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida.
    Só a sabedoria e as virtudes são imortais.
    Séneca

    Morimur ut mortales, vivimus ut immortales:
    morreremos como mortais que somos, e vivemos como se fôramos imortais.
    Sêneca (citado pelo Padre Antonio Vieira in Sermão da Quarta-Feira de Cinzas)


    A nossa vida é o que damos.
    Georges Séféris

    O que me resta da vida? Como é estranho,
    só me resta aquilo que dei aos outros.
    Vahan Tekeyan

    ResponderExcluir
  10. Ola, 7dias? para mim, era o suficiente para limpar as provas contra mim. pecadores como somos, pre cisamos deixar a casa mais ou menos arrumaas para nao fazer feio no velorio.
    hooo vida pecaminosa.... hooo mundo cruel condenador ....

    legal o texto
    estou seguindo seu blog e assinei pelo e-mail
    hora dessas va la no meu blog e deixa um recado, seguindo-me antes dos 7dias. ok?

    e cuidado com essas perguntas inteligentes demais... rs

    ResponderExcluir

Fico muuuuuuuito feliz com a iniciativa de deixar seu comentário. Aqui você pode exercer sua livre expressão e opinião: criticar, discordar, concordar, elogiar, sugerir... pode até xingar, mas, por favor, se chegar a esse ponto só aceito ofensas contra mim (Thiago Mendanha) e mais ninguém, ok? rs